A cada 8h uma mulher foi vítima de feminicídio no Brasil em 2021

Maioria dos homicídios motivados por crimes de gênero é de mulheres negras entre 18 e 44 anos.

Por Isabella Otto Atualizado em 11 abr 2022, 15h47 - Publicado em 11 abr 2022, 11h46

Mais dados alarmantes sobre ser mulher no Brasil foram divulgados em março pelo FBSP (Fórum Brasileiro de Segurança Pública) e abordados pelo Fantástico, da TV Globo, neste último dominho (10).

Foto de uma mulher ajoelhada acendendo uma vela em um memorial feito para uma mulher vítima de feminicídio. Está de noite.
Ivan Romano/Getty Images

De acordo com o levantamento, em 2021, a cada 8h uma mulher foi vítima de feminicídio no país. Ou seja, foi morta por crimes de ódio motivados pelo gênero. Foram contabilizadas assim 25 mortes por semana, mas acredita-se que esse número seja ainda maior, uma vez que nem todos os casos são devidamente registrados. Além disso, “esse número possivelmente deve crescer, porque algumas das investigações ainda estão em andamento”, conforme pontua Samira Bueno, diretora-executiva do FBSP ao programa dominical.

Em 97,8% dos episódios, as vítimas conheciam seu agressor, sendo ele algum companheiro, atual ou ex, ou parente próximo. O relatório ainda mostra que a maioria dos homicídios é de mulheres negras. 70% das vítimas estavam em idade reprodutiva, ou seja, tinham entre 18 e 44 anos.

Foi reveleado ainda que os crimes de feminicídio deixaram 2,3 mil órfãos no Brasil no último ano e não existe nenhum tipo de atendimento específico ou rede de apoio para esses jovens que perderam suas mães, cujos assassinatos foram muitas vezes cometidos pelos próprios pais.

Continua após a publicidade

Publicidade