9 ensinamentos que Malala Yousafzai deu durante palestra no Brasil | Capricho

9 ensinamentos que Malala Yousafzai deu durante palestra no Brasil

'Diversidade traz beleza. Nas escolas, principalmente, nós temos que celebrar a diversidade', garante a garota mais jovem a ganhar o Prêmio Nobel da Paz.

Por Isabella Otto Atualizado em 12 jul 2018, 18h23 - Publicado em 12 jul 2018, 18h13

Nesta quinta-feira, 12, Malala Yousafzai completa 21 anos de idade. Durante sua passagem pelo Brasil, a paquistanesa participou de um evento fechado no Auditório do Ibirapuera, em São Paulo, no dia 9, em que falou sobre educação e empoderamento feminino. Ela também se encontrou com líderes ativistas brasileiros, que lutam diariamente em prol da educação. Malala, que desde os seus 9 anos está na vida do ativismo, deu algumas declarações em sua primeira vez em SP que merecem ser analisadas com mais calma – e eternizadas naquele mural de inspirações que você tem no seu quarto! 😉

Reprodução/Reprodução

1. “Ler é crucial.”
No Brasil, estima-se que 1.5 milhões de meninas não tenham acesso à educação. Além disso, 44% da população brasileira não lê e 30% nunca comprou um livro, de acordo com dados da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, de 2016.

2. “Diversidade traz beleza. Nas escolas, principalmente, nós temos que celebrar a diversidade e mostrar o quão importante ela é.”
Segundo Malala, as escolas fazem errado ao não promover debates sobre diferenças entre seus alunos com medo de que isso só estimule a intolerância. Para a paquistanesa, ao falar sobre diferentes religiões e culturas, identidade de gênero, orientação sexual e minorias, você torna as pessoas mais tolerantes.

3. “Os garotos sempre soam confiantes, mesmo quando não estão certos. Nós, meninas, nunca devemos subestimar quem somos e o poder que temos.”
Um estudo publicado pela Revista Science, em 2017, revela que, na infância, as meninas tendem a se achar menos inteligente que os meninos. A sociedade patriarcal, criada por homens e para os homens, explica isso. Até o fato de mulheres até hoje serem proibidas de estudar em muitos lugares do mundo reflete os resultados desse levantamento.

4. “Quando você luta em paz, transforma sua energia em poder para mudar o mundo.”
Para a muçulmana, o ódio e a violência nunca são respostas para nada. Ela reforça ainda mais essa fala porque muitas pessoas ainda generalizam os povos do Oriente Médio e acha que todos são terroristas.

Continua após a publicidade

5. “O melhor jeito de me vingar é educando pessoas pelo mundo, inclusive os filhos e as filhas dos que fizeram aquilo comigo.”
Essa foi uma das falas da paquistanesa que mais repercutiu após o evento em São Paulo. Ao ser questionada sobre se vingar daqueles que tentaram assassiná-la, Malala declarou que a melhor vingança é educar a todos, inclusive os filhos e as filhas que tentaram silenciá-la violentamente.

6. “Eu conheci uma garota no Iraque que estava sendo forçada a se casar com 14 anos. No dia de seu casamento, já vestida de noiva, ela fugiu para se proteger, porque ela sabia que, assim que se casasse, não poderia mais estudar nem seguir seus sonhos.”
Você sabia que o Brasil é um dos países campeões em casamento infantil, ocupando a 4º posição? De acordo com a ONG Save the Children, a cada sete segundos, uma garota com menos de 15 anos se casa no mundo.

7. “Quando falamos sobre empoderamento feminino, nós não falamos exclusivamente para as mulheres. Nós também falamos com os homens. Eles precisam participar, precisam fazer alguma coisa também. A responsabilidade é igual, mas a mulher precisa erguer sua voz.”
Assim como Emma Watson, Malala acredita que a luta das mulheres deve ser protagonizada por elas mesmas, que têm lugar de fala. Contudo, os homens também têm um papel importante no combate ao machismo do dia a dia.

8. “Não era minha mãe que lia para mim. Eu que lia para a minha mãe. Agora, ela está aprendendo e, como uma filha que lê para a mãe, esse sentimento é maravilhoso. Ela é minha inspiração e uma das razões que me fazem continuam lutando pela educação feminina.”
Ouvir os mais velhos é importantíssimo, mas a linha de ensinamento não precisa ser hereditária e unilateral. A troca de informações é valiosíssima e estimula que pessoas mais velhas abandonem preconceitos ultrapassados – que ainda têm, de repente, por pura falta de conhecimento.

9. “Use o poder do voto e eleja pessoas que te representem.”
De acordo com dados do Tribunal Regional Eleitoral do Espírito Santo, divulgados em 2018, jovens de 16 e 17 anos, cujo voto é facultativo, estão cada vez mais distantes das urnas.  A falta de representatividade e de confiança nos políticos são algumas das principais causas.

Continua após a publicidade
Publicidade