6 espécies que podem ficar ameaçadas de extinção por causa das queimadas

Incêndios criminosos, que estão batendo todos os recordes em 2020, devem destruir parte considerável do bioma pantaneiro

Por Gabriela Junqueira Atualizado em 5 nov 2020, 18h32 - Publicado em 7 nov 2020, 10h12
colecao capricho sestini mochila bolsas
CAPRICHO/Sestini/Reprodução

Desde o começo do ano, o Pantanal está em chamas e, até o começo de outubro, uma área de 2,1 milhões de hectares (o equivalente a dez cidades de São Paulo) já havia sido destruída. Neste ano, o índice de incêndios, a maioria deles ilegal, no bioma cresceu 210% em comparação a 2019.

Entre as imagens assustadoras que circularam nos últimos meses do bioma em devastação, animais aparecem feridos e tentando fugir das chamas. Algumas dessas espécies, consideradas vulneráveis pelo Livro Vermelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção de 2018, da Fundação Chico Mendes, agora enfrentam um perigo ainda maior com a devastação do Pantanal.

Até outubro, mais de 2,1 milhões de hectares foram queimados no Pantanal mato-grossense NurPhoto / Colaborador/Getty Images

1. Onça-pintada

A região pantaneira abriga a maior quantidade de onças-pintadas do mundo. O animal, maior felino das Américas, já era alvo de caçadores por causa de sua pele. Agora, enfrenta um novo inimigo: o fogo. Os incêndios no Brasil aumentaram os riscos enfrentados pela espécie, que já é quase ameaçada de extinção, segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza. Para a BBC, o pesquisador Fernando Tortato explica que, além do perigo de ser atingido pelo fogo, o animal também sofre com a falta de água e comida.

2. Arara-azul

Em agosto, o maior santuário de araras-azuis do mundo, localizado na Fazenda São Francisco do Perigara, no Mato Grosso, foi atingido pelas chamas. A ave, que já estava ameaça pela caça e o comércio clandestino, foi uma das espécies que mais sofreu com os incêndios. Grande parte das árvores em que se abrigavam e das quais se alimentavam foi queimada – e continua sendo.

3. Anta

O maior mamífero terrestre do Brasil se concentra principalmente na Amazônia e na região pantaneira, ambos focos principais das queimadas no Brasil. Além de ser vítima da caça e de atropelamentos, o animal também corre risco de ficar ameaçado de extinção por ter seu habitat natural incendiado e desmatado pelo homem.

O tamanduá-bandeira que foi resgatado no Pantanal, mas não resistiu aos ferimentos Juliana Carvalho/Reprodução

4. Tamanduá-bandeira

A imagem de um tamanduá-bandeira que teve as quatro patas queimadas pelo fogo viralizou nas redes sociais. O animal recebeu um tratamento inédito com uma técnica envolvendo couro de tilápia, mas, mesmo assim, não resistiu e morreu no último dia 11. Assim como ocorre com as antas, esta espécie está ameaçada por causa do fogo, que segue dizimando seu habitat natural.

5. Cervo-do-pantanal

Por causa da caça e da perda de seu habitat, acredita-se que mais da metade da espécie já foi extinta no Pantanal. Considerada vulnerável pela União Internacional para a Conservação da Natureza, o mamífero é o maior cervídeo da América do Sul e pode chegar a pesar até 125kg!

6. Ariranha

Ameaçadas por causa da poluição dos rios e do mercado ilegal de peles, as ariranhas devem ser extintas da Mata Atlântica em questão de anos, se não mudarmos nossos hábitos com relação ao meio ambiente. O animal, que pertence à família das lontras e pode chegar a medir 2m de comprimento, se encontra ainda mais vulnerável por causa das queimadas.

Continua após a publicidade
Publicidade