2020 termina com “superfungo” no Brasil e doença misteriosa na Índia

Só acaba quando termina, né? Saiba mais sobre o "superfungo" e o que causou a tal doença desconhecida

Por Isabella Otto Atualizado em 9 dez 2020, 12h03 - Publicado em 9 dez 2020, 12h01

O ano de 2020 está tipo uma das provas de Maze Runner, um Torneio Tribruxo, uma das tarefas de Jogos Vorazes, e por aí vai. Apesar das brincadeiras, porque o humor é uma das poucas coisas que ainda nos faz rir, e os memes brasileiros, é claro, chegamos a dezembro com um “superfungo” voltando a atacar no Brasil e a aparição de uma doença misteriosa na Índia. SAY WHAAAT?!

2020 termina com
KATERYNA KON/SCIENCE PHOTO LIBRARY/Getty Images

O “superfungo” Candida auris, descoberto em 2009, já infectou pessoas em mais de 30 países e voltou a aparecer recentemente na Bahia, onde um homem foi hospitalizado com sintomas referentes à contaminação. Por ser oportunista e resistente, quando chega ao sangue, pode causar uma infecção gravíssima e levar o paciente à óbito. Apesar de a Anvisa ter emitido um alerta, o médico infectologista Alessandro Pasqualotto disse em entrevista a BBC que o fungo não chega a ser uma ameaça no Brasil como o coronavírus está sendo. “Não é porque temos a suspeita de um caso no Brasil que temos que fechar as fronteiras. Mas, dada a sua resistência, existe sim um alerta, porque [o fungo] pode causar surtos em pequenos núcleos, como no ambiente hospitalar”, explicou. Inclusive, o primeiro foco do Candida auris foi detectado na seringa usada em um paciente diagnosticado com COVID-19.

Do Brasil diretamente para a Índia, mais precisamente para a região de Andhar Pradesh, tivemos na última sexta-feira, 4, o surto de uma doença misteriosa. De acordo com o jornal Times of India, mais de 450 pessoas já haviam sido contaminadas e apresentavam sintomas como vômito, sensação de queimação nos olhos e crises epiléticas. Uma morte havia sido registrada.

  • A notícia gerou pânico global, afinal, o mundo já está bastante debilitado por causa da pandemia do novo coronavírus. Seria a doença causada por outro vírus? Uma bactéria nova? Um “superfungo”? Nada disso. Na última terça-feira, 8, o laboratório do hospital Aiims de Nova Délhi informou, depois de realizar várias pesquisas, que a doença desconhecida foi causada pela ingestão de água contaminada por chumbo e níquel.

    A crise sanitária e humanitária na Índia, o segundo país mais populoso do globo, perdendo apenas para a China, e o mais poluído, é uma situação de saúde pública. Por ano, estima-se que mais de 1,2 milhões de pessoas morram no país vítimas apenas da poluição do ar – sem contar a poluição da água e do solo.

    Com relação ao “superfungo”, fica o alerta: “À medida que a gente progride, produz mais antibióticos, que as pessoas são mais invadidas por procedimentos médicos e sobrevivem mais, passam a surgir novos patógenos que antes não causavam doenças. E, devido à pressão dos remédios, eles surgem resistentes”, explica o infectologista Alessandro Pasqualotto. Remédios apenas com prescrição médica, ok? Nada de automedicação. 

    Agora chega, viu, 2020?

    Continua após a publicidade
    Publicidade