Touca e fronha de cetim: como funcionam e seus benefícios para o cabelo

Entenda por que esses acessórios se tornaram queridinhos entre crespas, cacheadas e onduladas

Por Sofia Duarte Atualizado em 3 set 2021, 13h31 - Publicado em 4 set 2021, 10h00

Afinal, por que a touca de cetim e seus derivados, como a fronha e a touca difusora, são uma febre no mundo da beleza, especialmente entre crespas, cacheadas e onduladas? A CH conversou com especialistas para entender de que forma esses objetos podem ser aliados na sua rotina de cuidados com o cabelo.

Qual é a função das toucas de cetim?

O material delas diminui o atrito entre o cabelo e o travesseiro, reduzindo, portanto, o frizz. Além disso, a tricologista Viviane Coutinho explica que o cetim, por ser um tecido liso e macio, não desgasta a fibra capilar, ou seja, o cabelo se mantém forte e saudável. “Entre outros benefícios, também estão uma maior definição dos cachos e a retenção da umidade e hidratação das madeixas. Até a quantidade de fios que caem no momento de pentear pode diminuir, já que o cabelo estará menos embaraçado”, completa.

Elas são indicadas para quais tipos de cabelo?

Para todos! Lisos, crespos, cacheados e ondulados, segundo o cabeleireiro e beauty artist Ale de Souza, que é Master Curl Manifesto Brasil da Kerastase. “Os cabelos crespos, cacheados e ondulados costumam sofrer mais com o ressecamento dos fios, já que o óleo naturalmente produzido pelo couro cabeludo tem mais dificuldade em chegar até as pontas devido ao formato espiral da fibra, fazendo com que o atrito dos fios com o algodão da fronha deixe-os embaraçados, mais ‘eletrizados’. Já nos lisos, a touca ajuda a deixá-los mais alinhados, sem frizz.”

Ou seja, a finalização após a lavagem vai durar mais e você conseguirá um day after muito melhor!

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Noelia | Curly Hair Enthusiast (@curlelia)

Como é possível usá-las?

A touca de cetim não possui contraindicações e podem ser usadas durante o dia ou à noite. “A única recomendação é que os fios devem estar completamente secos para evitar problemas no couro cabeludo”, afirma Viviane. “Vale lembrar que o elástico da touca não deve apertar os fios nem criar pressão na cabeça, para não gerar desconforto e danos ao cabelo. Prefira sempre versões mais maleáveis.”

Caso você tenha um cabelo mais longo ou volumoso, a dica do Ale de Souza é fazer um coque soltinho, porém com o cabelo todo preso para evitar que algumas mechas escapem durante a noite.

E a fronha de cetim?

Ela funciona de forma semelhante à touca, garantindo os mesmos benefícios. A vantagem é que você não precisa dormir de cabelo preso e basta colocá-la no seu travesseiro.

Continua após a publicidade

“Enquanto dormimos, a fronha tradicional, geralmente de algodão ou linho, vai ‘sugando’ um pouco da água dos fios, além de absorver os finalizadores e produtos utilizados para a ativação dos cachos. O tecido influencia diretamente no estado do cabelo na hora de acordar. Portanto, ao usar a fronha de cetim, os fios ficam livres do frizz e sem aquele aspecto amassado, comum depois de uma longa noite de sono”, conta a tricologista Viviane Coutinho.

  • E a touca difusora de cetim? Como funciona?

    As toucas difusoras de cetim acompanham uma ponteira de tecido que servem para prender no bico do secador. “Cria-se uma espécie de redoma de calor controlado no cabelo, que se ajusta à cabeça de quem usa. Assim, o calor não escapa e atinge os fios da raiz às pontas, diferente do difusor comum, que precisa ser usado em mecha por mecha dos cabelos“, descreve Ale de Souza.

    Viviane Coutinho aponta alguns benefícios da touca difusora em relação ao difusor comum. “A pessoa economiza tempo, energia elétrica e diminui o período de contato dos fios com o calor, o que, por consequência, também diminui possíveis danos à estrutura do cabelo. Além disso, a touca não precisa das mãos durante a secagem em si. O secador pode ser apoiado em alguma superfície para que a pessoa faça outras atividades enquanto o cabelo seca.”

    A tricologista alerta que os fios não devem estar molhados em excesso na hora de secá-los. “Para usar, lave e finalize o cabelo como de costume. Coloque os fios dentro da touca e ajuste à cabeça. Depois, acople o secador na touca e ligue-o em temperatura baixa por cinco minutos. Verifique se o cabelo já está seco e repita o processo até atingir o aspecto desejado. Por último, deixe o secador com ar frio por dois a três minutos para que as cutículas dos fios sejam seladas e as madeixas fiquem mais brilhosas. Se desejar um cabelo mais volumoso, solte os cachos com os dedos ou pente garfo após o uso do acessório.”

    E aí, você já testou alguma dessas técnicas? Funcionou? Se não, ficou curiosa para experimentar?

    Quem deu as informações: Ale de Souza, Master Curl Manifesto Brasil da Kerastase; Viviane Coutinho, tricologista membro e docente da Academia Brasileira de Tricologia.

    Aproveite e assista ao nosso vídeo ensinando dicas de finalização para dar volume e definição a cabelos crespos e cacheados:

    Continua após a publicidade
    Publicidade