Suas espinhas pioraram na quarentena? Entenda por que e como cuidar delas

Algumas atitudes simples podem te ajudar a lidar melhor com a acne neste período. Vem ver!

Por Thais Varela - Atualizado em 30 abr 2020, 12h35 - Publicado em 30 abr 2020, 11h33
perfume ch o boticario fragrancia capricho mood
CAPRICHO/Divulgação

Você está com a sensação de que suas espinhas estão aumentando durante o isolamento social causado pelo novo coronavírus? Talvez esse aumento não seja apenas uma impressão, mas esteja de fato acontecendo. Isso porque o período em que vivemos trouxe mudanças significativas em nossas rotinas, que podem contribuir para o aparecimento da acne. Entenda!

Estresse e espinhas

Sem dúvida estamos passando por uma situação estressante. Aulas suspensas, estudar de casa, não poder encontrar os amigos, notícias tristes sendo exibidas a cada instante na televisão… Tudo isso aumenta o estresse, sentimento que pode favorecer o aparecimento da acne. Quando o corpo tem a sensação de ansiedade e nervosismo geradas por ele, libera o hormônio cortisol, que influencia no funcionamento das glândulas sebáceas, fazendo com que elas produzam mais sebo. Esse aumento na oleosidade é um prato cheio para as bactérias causadoras da acne, que se alimentam da gordura em excesso que fica acumulada nos poros, levando assim a mais inflamações.

As espinhas causadas pelo estresse tendem a nascer nas regiões do queixo, mandíbula e também no pescoço. Em geral, elas são avermelhadas, doloridas, demoram mais tempo para desaparecer e podem ser mais profundas.

Cuidados necessários

O indicado é focar na rotina facial. Higienize o rosto duas vezes ao dia (de preferência pela manhã e à noite) com um sabonete ideal para o seu tipo de pele, use produtos oil-free e prefira cosméticos com textura mais leve, como sérum e gel. Não deixe de aplicar o protetor solar mesmo dentro de casa, pois a luz visível (essa das lâmpadas e das telas de eletrônicos) também é prejudicial, e hidrate a face – pele oleosa e pele hidratada não são sinônimos, viu?

Espremê-las só irá piorar tudo, portanto, evite ao máximo tocar nelas. Isso pode gerar cicatrizes, deixar a região ainda mais infeccionada e até fazer com que as espinhas permaneçam mais tempo na pele, pois dificilmente será possível retirar todo o pus – sem contar que ficam mais doloridas.

Atenção também ao hábito de levar as mãos ao rosto com frequência, pois nossos dedos acumulam sujeiras que podem contaminar a região e entupir os poros, fazendo com que mais espinhas apareçam.

gif-espinhas
GIF/Reprodução

Alimentação inflamatória

Além de alterar a rotina, a quarentena pode ter mudado também seus hábitos alimentares. Por ficarmos mais tempo em casa, e também como um escape para os momentos de ansiedade, é possível que comidas ricas em açúcares (como doces), leite e farinha branca (encontrada em massas e pães) tenham passado a ocupar mais espaço na sua dieta. Esses tipos de alimento possuem alto índice glicêmico e provocam um pico elevado de glicose no organismo ao serem digeridos, o que estimula a produção das glândulas sebáceas, tornando a pele mais oleosa e mais propensa à acne.

Continua após a publicidade

Cuidados necessários

Mantenha uma alimentação balanceada, não esqueça de incluir frutas e verduras em suas refeições e evite exageros. Lembre-se de tomar água e fazer exercícios, se possível. Além da atenção à dieta, não se esqueça dos cuidados faciais sobre os quais já falamos, pois eles também são muito importantes no combate à acne.

Acne cosmética

Muito tempo em casa é sinônimo de mais horas livres para fazer a rotina de skincare? Então fique de olho nos produtos que você está usando e também na quantidade de aplicações, pois é possível piorar o quadro de acne graças à utilização inadequada de cosméticos.

Chamada de acne cosmética, esse tipo de espinha tende a surgir com o uso de produtos comedogênicos (muito gordurosos) em pessoas que possuem a pele oleosa. A mistura de vários cosméticos diferentes também pode causar erupções, pois alguns ativos que formam as composições podem reagir entre si. Receitas caseiras com ingredientes que não são indicados para serem aplicados no rosto e itens fora da validade são outros fatores que contribuem para o aparecimento de inflamações.

Cuidados necessários

O ideal para lidar com esse tipo de acne é observar qual passo da rotina de skincare está causando espinhas e suspendê-lo. Além disso, manter a higienização e sempre optar por cosméticos de textura leves, como água micelar e séruns, e não comedogênicos é muito importante. Retirar a maquiagem antes de dormir também é um passo necessário. Em tempos de coronavírus e uso recorrente de álcool em gel, lembre-se de que o produto não deve ser aplicado no rosto. O sabonete facial e a água já servem como medida de limpeza eficaz contra o vírus. A aplicação de um produto tão forte na pele sensível da face pode ressecá-la e até causar problemas, como as próprias espinhas.

Anotou tudo?

*Quem deu as informações: Valéria Campos , médica dermatologista membro da  Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

Continua após a publicidade
Publicidade