Queda de cabelo: por que os fios podem estar caindo mais ultimamente?

Sua queda de cabelo aumentou durante a quarentena? Batemos um papo com especialistas para esclarecer os motivos e cuidados necessários para evitar isso

Por Izabel Gimenez - Atualizado em 2 out 2020, 09h50 - Publicado em 20 set 2020, 10h02
colecao-roupas-capricho-marisa
Divulgação/CAPRICHO

Se você reparou que seus fios tem caído mais do que o normal nos últimos tempos, pode ficar sossegada que esse não é um problema exclusivo seu. Desde o início da quarentena, muitas meninas passaram a se queixar dos tufinhos que não param de aparecer no chão. Para entender melhor sobre esse assunto que tem preocupado muita gente, a CH conversou com duas especialistas que explicaram que o aumento na queda de cabelo pode ser um dos efeitos do isolamento social. 

Quando estamos muito ansiosos ou nervosos (como nesta situação atípica que estamos vivendo), o cabelo pode perder sua força. Essa condição é chamada de Flúvio Telogeno Agudo e faz com que, ao invés de termos a queda diária de 100 a 120 fios, o que é a média comum, esse número chegue a dobrar ou triplicar. 

zendaya gif

 

 

Os cuidados necessários

A alimentação e o sono afetam bastante a saúde dos fios, sabia? Manter uma rotina saudável, com vitaminas e minerais, e com sono organizado é importantíssimo para que o organismo consiga funcionar e trabalhar da forma correta. Afinal, o cabelo é um anexo do nosso corpo! Como 90% dos fios são feitos de proteína, as especialistas explicam que é preciso incluir esse tipo de alimento nas refeições, assim como legumes, verduras e frutas, que são ricos em ferro e outros nutrientes. 

Entender o seu tipo de cabelo e como cuidar dele também ajuda a manter a saúde dos fios. Usar produtos específicos para ele é necessário para entregar aquilo que ele precisa, como mais nutrição, hidratação, reconstrução, etc. A dica é consultar um especialista que possa te auxiliar nessa hora.

Continua após a publicidade

nina dobrev cabelo

Assim como temos uma rotina de cuidados com a pele, precisamos ficar atentas em como tratamos nosso cabelo. Quando está molhado, ele fica mais sensível e pesado, e, por isso, exige uma atenção ainda maior – principalmente por causa da possibilidade de proliferação de bactérias no couro cabeludo. Prendê-lo antes de estar completamente seco faz com que os fios quebrem e, se tiver muita tensão (como quando puxamos muito as mechas para amarrá-las em um coque ou rabo de cavalo) a força que colocamos pode acabar machucando nosso couro cabeludo, causar a queda e até fragiliza-lo ao longo do tempo.

Pentear os fios começando pelas pontas até a raiz para desembaraçá-los sem correr o risco de “arrastar” o nó – e assim causar a quebra -, massagear o couro cabeludo durante o banho para ajudar no crescimento dos fios e evitar lavar o cabelo com água quente também são ações que auxiliam no cuidado com as mechas.

Sempre alerta!

A partir do momento que a vida voltar a normalidade e, aos poucos, retornarmos à rotina com menos tensões e ansiedade, os fios podem, sim, parar de cair. Vale lembrar que existem outros motivos para a queda excessiva de fios, ok? Então é importante ficar atenta a possíveis sinais do seu corpo!

Por isso, caso note que o problema está se agravando, é essencial procurar um especialista para entender não só o motivo por trás do sintoma, por exemplo, alguma questão de saúde ou uma predisposição genética, mas também para checar se é necessário intervir com um tratamento ou repensar hábitos que podem contribuir com a situação.

Você sabia de tudo isso?

Quem deu as informações: Dra. Carolina Gramigna, dermatologista e especialista em tricologia, e Dra. Viviane Coutinho, tricologista. 

Continua após a publicidade
Publicidade