Jovem sofre injúria racial por seu cabelo: “Assusta”, diz agressor

A modelo Ludmila Cassemiro denunciou o ocorrido nas redes sociais: "Não foi um caso isolado"

Por Djenifer Dias 13 out 2021, 14h34

No último sábado (9/10), Ludmila Cassemiro, modelo, ativista e comunicadora de 21 anos, denunciou um episódio de injúria racial que sofreu durante seu caminho para a academia no bairro Cachoeirinha, em Belo Horizonte, Minas Gerais. “Eu acabei de vivenciar uma situação racista. Um cara me parou e disse que meu cabelo incomodava e assustava as pessoas“, disse em vídeo postado em suas redes sociais.

Na filmagem, é possível ouvir a voz de um homem disparando as ofensas. “Eu sempre quis falar isso para você, o seu cabelo assusta as pessoas“, afirmou.

Ele ainda tentou se justificar dizendo ser fotógrafo, como se o seu comentário racista fosse, na verdade, uma crítica construtiva. Horrível, né?

View this post on Instagram

A post shared by C A S S E M I R O 👑 (@ludmilacassemiro)

Continua após a publicidade

Após o episódio, Ludmila contou que essa não foi a primeira vez que passou por isso. “Essa é uma situação recorrente dos nossos dias. Não foi um caso isolado. O que ocorre é que o nosso cabelo é lido como algo que pode ser criticado. As pessoas se sentem no direito de marginalizar os nosso elementos. Nosso cabelo não é um elemento estético, é um elemento político. Faz parte do nosso corpo enquanto uma existência política. É um símbolo de resistência da nossa cultura, e as pessoas se sentem no direito de esvaziar essa simbologia. Isso afeta a saúde mental da população negra, isso nos desumaniza e nos tira do nosso lugar de conforto, de simplesmente poder existir e caminhar em paz.”

View this post on Instagram

Uma publicação compartilhada por C A S S E M I R O 👑 (@ludmilacassemiro)

Em entrevista ao G1, ela comentou que já perdeu trabalhos por conta dos seus fios com a desculpa de que ele “polui o ambiente”. A ativista também ressaltou que pretende denunciar o caso ao Ministério Público. “Eu vou representar aqueles que ainda não se sentem seguros para quebrar o silêncio. Muitas pessoas me procuraram para agradecer, falando que se sentiram representadas, que eu tive coragem de falar. É só o começo, porque eu pretendo continuar me manifestando. As pessoas fazem mal por sermos quem somos, nossa vida é colocada em ameaça o tempo inteiro.”

  • Vale lembrar que o crime de racismo acontece quando o agressor atinge um grupo ou coletivo de pessoas, discriminando uma etnia de forma mais geral. Já a injúria racial se dá quando a honra é ofendida através da raça, cor, etnia, religião ou origem de alguém.

    Após a repercussão do vídeo na internet, formou-se uma corrente do bem  vários fotógrafos ofereceram ensaios gratuitos para mostrar a beleza do cabelo de Ludmila.

    Continua após a publicidade
    Publicidade