Jovem ficou na UTI após fazer escova progressiva. Entenda o caso!

Ela teve uma parada cardiorrespiratória, e a polícia está investigando o ocorrido

Por Da Redação - 1 set 2020, 12h08

Magali participou do programa Encontro com Fátima Bernardes, da TV Globo, no dia 28 de agosto, para contar o susto que levou ao ter uma parada cardiorrespiratória após fazer uma escova progressiva em um salão de beleza na cidade de Cascavel, no Paraná.

Magali no Encontro com Fátima Bernardes explicando o que aconteceu após fazer escova progressiva Gshow/Reprodução

Enquanto a jovem realizava o procedimento de beleza, começou a se sentir muito desconfortável. “Senti ardência no olho, saía muita água. Falei que não estava me sentindo bem e ela falou que isso é normal, porque o produto é forte. Quando voltei para minha casa, não aguentava de dor na minha cabeça, chegou até a sair sangue do meu nariz”, relatou.

“Entrei no banheiro na intenção de tirar o produto da minha cabeça porque ela não tirou na hora. Ela falou que eu teria que voltar no outro dia para tirar o produto do cabelo. Na hora que comecei a lavar o cabelo, comecei a sentir muita falta de ar, dor de cabeça. Meu filho de cinco anos viu que eu estava passando mal e ligou para o pai dele.”

Segundo boletim de ocorrência registrado na terça-feira (25), Magali teve uma parada cardiorrespiratória, passou três dias na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e outros dois internada no quarto do hospital. “Eu estou bem debilitada, me recuperando do susto que levei”, disse.

Suspeita-se que o mal-estar foi causado pelo formol, substância tóxica e proibida pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para alisar o cabelo. “Agora a polícia vai investigar para ver se realmente tinha formol, se o produto era adulterado, falsificado”, contou Magali. A Polícia Civil do Paraná declarou que está ouvindo as testemunhas e investigando para ver se o produto teria relação com o que aconteceu com Magali.

O advogado da mulher responsável por aplicar o produto informou ao Encontro que sua cliente não é cabeleireira e nem vive disso e que havia aplicado o produto no próprio cabelo e de sua vizinha, que não sofreram efeitos colaterais. Ele também explicou que o que aconteceu foi uma fatalidade e que as duas são vítimas, já que não tinham instruções de risco na embalagem do produto.

É importante relembrarmos que o formol é um produto extremamente tóxico, de uso proibido pela Anvisa como alisador de cabelo, e pode causar inflamações no trato respiratório, podendo ser fatal em alguns casos mais graves. Por isso, fique atenta se você for fazer uma escova progressiva, verifique se o profissional é confiável e se ele usa produtos corretamente certificados.

 

Continua após a publicidade
Publicidade