Gelatina capilar: o que é e como usar na finalização dos cachos

Entenda de que forma você pode inserir esse produto na sua rotina de cuidados

Por Taya Nicaccio 18 dez 2021, 10h08

Alô, crespas e cacheadas! Vocês conhecem as principais dicas para apostar nas finalizações dos fios com gelatina capilar? Conversamos com a hairstylist Bianca Hulmann, cabeleireira especialista em cabelos ondulados, cacheados e crespos, para entender o que é, para quê serve e como escolher esse produto tão queridinho. Vem conferir!

O que é uma gelatina capilar?

A gelatina capilar é um finalizador, como se fosse um ativador de cachos. Muito utilizado em cabelos ondulados, cacheados e crespos, esse produto contempla as curvaturas 2ABC, 3ABC e 4ABC.

Existem gelatinas de diferentes modelos e especificidades, como suave, moderada e de alta fixação, cada uma com sua funcionalidade para finalização. Apesar de funcionar em todas as curvaturas, onduladas usam a gelatina com mais frequência, como uma alternativa para os fios que dificilmente seguram suas ondulações até o fim do dia.

Para quê serve?

Para definição e maior fixação, esse produto já virou um dos nossos favoritos por ser muito versátil. “A maior parte dos cabelos que finalizamos hoje em dia são feitos com gelatina. Passamos primeiro um ativador de cachos em creme em pequena quantidade e, depois, nós amassamos só as pontas com a gelatina para garantir a fixação. Para uma definição maior, o ideal é aplicar o produto mecha a mecha“, explica Bianca.

Como usar e escolher o produto?

Novamente, o produto pode ser usado em qualquer tipo de cabelo. No caso dos fios ondulados, ele pode ser usado mecha a mecha. “Mas não é legal misturar com creme de pentear que seja em creme, porque ele pode ficar com aquele aspecto coalhado e, consequentemente, o cabelo acaba ficando cheio de pontinhos brancos“, alerta a profissional. “Se for passar o produto mecha a mecha para ter mais definição, primeiro, com o cabelo bem molhado, aplique uma pequena quantidade de creme de pentear e, em seguida, a gelatina no cabelo. Mas nunca misturando os dois para aplicar. Primeiro um e depois o outro”, explica.

Essa técnica para aplicação do produto mecha a mecha ajuda no resultado final. “Quando o cabelo seca, ele fica com um aspecto de molhado e durinho. Então, você precisa amassar os fios depois de secos para quebrar, como chamamos, o aspecto de durinho da gelatina.” Espere o cabelo secar e na sequência amasse os fios, assim, ele ficará normal, sem aquele aspecto de molhado.

Outra alternativa é usar a gelatina apenas na ponta do cabelo, como explica Bianca Hulmann. “Nesse caso, faça uma finalização com creme de pentear. Jogue a cabeça toda para baixo e use uma quantidade pequena de gelatina, ou seja, só nas pontas dos fios, para garantir maior fixação ao longo do dia”, orienta.

Bianca separou os produtos que mais gosta para indicar, e ilustramos a seguir algumas opções de creme para pentear e finalizadores para você dar uma olhada e testar!

Montagem em fundo artístico com pinceladas, rosa, rosa claro, amarelo e branco com cinco produtos de finalização para o cabelo. Creme para pentear (modelador de crespos e cachos), Geleia seladora, geleia ativadora e finalizador suave para cabelos cacheados.

Opções de finalizadores e gelatina capilar para cacheadas, crespas e onduladas.

1. Creme para pentear encrespando a juba, Wide Care, R$ 32,70*

2. Creme para pentear encaracolando a juba, Wide Care, R$ 31,87*

3. Geleia seladora modelando a juba, Wide Care, R$ 29,61*

4. Geleia com alta fixação, Arvensis, R$ 99,90*

5. Finalizador suave Jelly Glacê, Kah-noa, R$ 99,90*

Qual é o segredo da finalização perfeita?

Uma ótima dica é usar uma moedinha de produto para o lado esquerdo, e outra, para o lado direito. A hairstylist lembra que, para o usar o ativador, sua aplicação deve ser do comprimento para as pontas, mantendo dois dedos da raiz do cabelo, a fim de evitar caspas. “O segredo da finalização perfeita é estar com o cabelo bem molhado, porque ele absorve melhor a gelatina e o ativador, e usar pouco produto. Assim, você economiza na quantidade de uso e o cabelo fica mais bonito!”, acrescenta Bianca.

Como secar o cabelo?

Para manter a finalização, você pode secar o cabelo naturalmente, com difusor e até apostar em toalhinhas de microfibra que são reutilizáveis ou em camisetas de algodão. Segundo Bianca, com o difusor deixamos o cabelo mais definido e estimulamos os cachos, mas nada impede a escolha da sua técnica de secagem favorita. “Você pode deixar o cabelo secar naturalmente, mas é importante destacar que não pode ficar passando a mão no cabelo ou ficar jogando de um lado para o outro, se não ele acaba perdendo a definição. Com o secador difusor, você seca e depois pode mexer o cabelo o quanto quiser. Quando o cabelo está secando naturalmente, às vezes, demora duas ou quatro horas para secar, e a movimentação de um lado para o outro pode dar frizz e tirar a definição. Fica ao seu critério, secar naturalmente ou com difusor.”

Continua após a publicidade

A maioria dos produtos hoje em dia já tem protetor térmico, inclusive a gelatina. “Caso a sua gelatina não tenha, você pode aplicar um ativador de cachos ou creme de pentear que tenha a proteção térmica para não danificar os fios quando foi usar o difusor”, sinaliza Bianca.

View this post on Instagram

A post shared by Bianca Hulmann (@biahulmann)

View this post on Instagram

A post shared by Bianca Hulmann (@biahulmann)

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Bianca Hulmann (@biahulmann)

Day after: quais os cuidados e truques?

“Quando finalizamos o cabelo com gelatina, a tendência é que o day after fique melhor mesmo. Para dormir, é legal fazer aquele coque abacaxi no topo da cabeça, com uma volta no elástico, uma touca e fronha de cetim, pois esse tipo de tecido ajuda os fios a não terem atrito com o travesseiro e diminuir o frizz no dia seguinte.” Ao acordar e retirar a touca, as curvaturas podem ficar um pouco amassadas, mas a dica de Bianca é soltar o cabelo e esperar  que ele ganhe forma ao longo dos minutos. Para cabelos crespos, por exemplo, você pode usar sua própria mão ou algum pente de dentes largos para desamassar os fios.

A hairstylist explica que produto em cima de produto pode causar acúmulo, caspas e porosidade capilar. “O ideal é que o dia seguinte sempre seja só preso mesmo, com a touquinha ou fronha de cetim, e o cabelo mais solto o possível.”

Falando em saúde do couro cabeludo, o ideal é lavar o cabelo no mínimo a cada dois dias. “Pode lavar o cabelo todos os dias, mas o ideal é não passar de dois dias sem lavar, porque pode causar doenças do couro cabeludo”, afirma Bianca Hulmann.

Como evitar o ressecamento dos fios?

“Não tem nada muito específico relacionado à gelatina, mas é ideal manter uma rotina de cuidados com o cabelo semanalmente. Passe bastante nutrição e hidratação nos fios ao menos uma vez por semana. A umectação também pode ser feita uma vez ou a cada 15 dias com óleos vegetais, como de abacate, semente de uva e oliva”, afirma. “Não indicamos o óleo de coco. Por ser comedogênico, ele pode atrapalhar ao invés de ajudar os fios.”

Segundo Bianca, você não precisa tratar especificamente os fios por usar gelatina capilar, mas é recomendável manter uma rotina adequada pelo menos uma vez na semana.

Confira sugestões da CH com mais alguns produtos e alternativas para você finalizar o cabelo!

Opções de gelatinas capilares para cacheadas, crespas e onduladas em fundo rosa
Opções de gelatinas capilares para cacheadas, crespas e onduladas Divulgação/CAPRICHO

6. Gelatina ativadora de cachos, Griffus Amo Cachinhos, R$ 10,90*

7. Gelatina super modeladora, Lowell, R$ 17,41*

8. Gelatina vai ter volume sim, Salon Line, R$ 20,88*

9. Gelatina super transição, Salon Line, R$ 21,51*

10. Jelly Gel meu cacho minha vida, Lola Cosmetics, R$ 33,80*

Quem deu as informações: Bianca Hulmann, cabeleireira especialista em cabelos ondulados, cacheados e crespos, tanto na parte de corte quanto na cor. Além do atendimento, hoje o seu objetivo é passar conhecimento adiante através de cursos. Hulmann tem alunos no Brasil todo, Estados Unidos, Canadá, Portugal, Dublin, Japão, Paraguai, Uruguai e Londres. 

*Preços consultados em 17 de dezembro de 2021. Sujeitos a alterações.

Continua após a publicidade

Publicidade