‘Eu era invisível para mim mesma’: CH debate o feminismo negro

'Quando as mulheres brancas começaram a lutar pelo feminismo, as negras ainda estavam lutando pelo direito de serem reconhecidas como gente'.

Algumas pessoas acreditam que ao falarmos sobre feminismo negro, estamos, mesmo que inconscientemente, segregando as mulheres. Afinal, todas são do sexo feminino. Logo, a luta é a mesma. Certo? Errado. A questão não é dividir, mas, simplesmente, representar. Quem melhor que meninas negras para falar sobre o que as meninas negras passam? No vídeo abaixo, Jéssica Moreira, representante do coletivo Nós, Mulheres da Periferia, Maria Freitas, artista e dona da página O Mago Rosa, e Christiane Pinto, repórter idealizadora do comitê AfroGooglers, debatem essa questão durante o especial #GirlPowerDay da TV CAPRICHO, e explicam por que não é errado falar de feminismo negro e como essa questão é realmente importante para todos!

Vcoê pode conferir as outras rodas de debate que aconteceram durante o #GirlPowerDayCH no canal da CAPRICHO no YouTube. Increva-se e não perca nenhuma novidade!

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s