Do PDP à realidade virtual: O melhor da exposição A Era dos Games

Não tem problema se você não conseguir conferir os mais de 150 games em São Paulo. A CAPRICHO te mostra o melhor da exposição! o/

Tudo começou em 2002, em Londres, na Inglaterra, com uma exposição chamada Game On. Ela reuniu toda a história dos games, desde o PDP-1, primeiro computador produzido pela DEC (Digital Equiment Corporation) nos anos 60, até os jogos mais moderno de realidade virtual, em um único lugar. O sucesso foi tanto que o Barbican Centre, centro de artes britânico, levou a mostra para outros países. Nesta quarta-feira, 16, ela chega ao Brasil com o nome A Era dos Games, mais precisamente na Bienal, no Parque do Ibirapuera, onde fica em cartaz até o dia 20 de agosto.

A exposição é divida em áreas que mostram desde os primeiros computadores e fliperamas até os mais variados modelos de consoles, estilos de jogos e controles disponíveis no mercado. Como é interativa, os visitantes podem testar quase tudo – algumas raridades estão bem protegidas para não se danificarem com o toque humano. Eu, Isa Otto, repórter de comportamento da CAPRICHO, conferi a exposição na última quarta-feira e conto o que mais curti nas cinco horas em que precisei me dedicar a uma tarefa árdua: jogar videogames! (ironia detectada com sucesso)

Eu já  preparada para testar a Virtual Sphere e fingindo costume antes de parecer um personagem de The Sims.

Eu já  preparada para testar a Virtual Sphere e fingindo costume antes de parecer um personagem de The Sims. (Reprodução/Reprodução)

Um dos pontos altos da mostra é, sem dúvida, uma enorme bola, chamada Virtual Sphere, que fica no setor de games modernos e ultratecnológicos. Você entra nela e, feito um hamster (call me, Hamtaro!), começa a correr em círculos. Só que os óculos de realidade virtual te transportam para o meio do nada, literalmente. Em uma espécie de fazenda, você precisa se esquivar de pedras e cercas. A experiência é bem interessante, mas cansativa. Vai pensando que gamer não queima umas calorias jogando, vai!

E por falar em vida fitness dos apaixonados por games, a mostra contra com uma salinha “secreta”. Dentro dela, o visitante pode se dividir entre partidas de Just Dance e performances no Rock Band. O intuito do espaço fechado é trazer mais comodidade e confiança para os visitantes mais tímidos, que, definitivamente, não se arriscariam no meio da galera. Nosso instrumento favorito no Rock Band é a bateria (call me, Ringo Starr!). O catálogo está recheado de bandas clássicas, como The Smiths, Queen e The Beatles.

Saudade eterna do bichinho virtual do Gugu!!!

Saudade eterna do bichinho virtual do Gugu!!! (Reprodução/Reprodução)

Outra área bastante divertida é a dedicada aos mais diferentes videogames portáteis. Na exposição, é possível matar a saudade dos bichinhos virtuais e ainda se deparar com aparelhos ainda mais antigos, como esse portátil da franquia Donkey Kong:

Sim, eu fiquei com vontade de levar essa belezura para casa.

Sim, eu fiquei com vontade de levar essa belezura para casa. (Reprodição/Reprodução)

A viagem no tempo não para! Hoje, com centenas de opções de jogos online, é bastante estranho pensar que em um passado não tão distante as pessoas precisavam soprar o interior de fitas para “limpar” os games. Calma, eu explico! É que, ao invés de vir na memória ou em CDs, os jogos eram vendidos em fitas. Elas eram de diferentes tamanhos, estilos e formatos, mas as da foto abaixo eram as mais tradicionais – e tiraram muitos gamers do sério nos anos 90.

Minha primeira experiência com as fitas foi jogando Sonic no Master System III Compact da Sega.

Minha primeira experiência com as fitas foi jogando Sonic no Master System III Compact da Sega. (Reprodução/Reprodução)

Um passeio em família, A Era dos Games ainda conta com uma parte dedicada aos jogos infantis, para pais e filhos passarem o tempo. Enquanto os pequenos testam jogos antigos, os grandões se deslumbrarem com os mais atuais. A exposição do Brasil conta ainda com três exclusividades: o espaço dedicado aos games Just Dance e Rock Band, um seção só com jogos de futebol e uma área com criações de brasileiros que ganharam destaque no mercado de games.

Oi? Eu ouvi The Sims? É claro que uma das franquias mais famosas de todos os tempos foi lembrada! Aliás, a parte dedicada aos grandes nomes dos games, como Mario, Sonic e Donkey Kong, é incrível e traz esboços dos personagens. Na mesma área, só que mais ao fundo, arcades de corrida, luta e lógica se encontram disponíveis para os visitantes. Nosso favorito entre todos é o tradicional Pac-Man.

Esboços de The Sims, Donkey Kong e Mario.

Esboços de The Sims, Donkey Kong e Mario. (Reprodução/Reprodução)

Os ingressos para a exposição A Era dos Games variam de R$ 20 (meia) a R$ 40 (inteira), e são vendidos online e na bilheteria da Bienal. São mais de 150 games icônicos para matar a saudade, experimentar pela primeira vez e redescobrir seu amor pelos videogames.

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s