Menstruação consciente: como as fases da lua interferem no seu corpo

FARM lança coletivo de camisetas com estampas do ciclo lunar valorizando a reconexão feminina com seus corpos. Entenda!

Por Malu Pinheiro Atualizado em 7 ago 2018, 17h35 - Publicado em 7 ago 2018, 16h10

Quantas vezes você acordou e pensou: “Ai, que droga, estou menstruada”, ou então reclamou para alguma amiga sobre suas cólicas? E sobre menstruação consciente? Você já ouviu falar? O termo refere-se a um processo que busca resgatar os valores sagrados desse momento – que você pode até não ligar, mas é muito importante! O nosso ventre é um portal da vida, não só por poder gerar um bebê, mas porque ele também armazena nossos sonhos, sentimentos e emoções. Se não tivermos essa consciência, ele acaba se tornando apenas um reservatório de dores, doenças e experiências que tivemos ao longo do tempo. A condição do nosso ventre, então, reflete o nosso estado emocional e espiritual.

Bebel Clark, terapeuta, comunicadora e facilitadora do feminino essencial, nos ajudou a entender um pouco melhor sobre esse assunto. Ela, que trabalha pela reconexão da energia feminina no mundo, explicou como as fases da lua interferem no nosso corpo: “Nós somos regidos pela lua, ela rege as marés e as águas – inclusive nossas águas internas. Como menstruamos todos os meses, nós também somos beneficiadas por esse fenômeno, além de sermos cíclicas como o astro. A lua tem quatro fases e, por conta disso, a gente também passa por quatro etapas ao longo do mês”.

Quando a lua está nova é o momento ideal para plantarmos nossas intenções do que queremos para aquele mês. A crescente traz uma sensação potencial de que vamos realizar nossos sonhos que idealizamos na fase anterior. Já a lua cheia é um momento de celebração, é o ápice da energia e animação – “Não à toa, é quando a lua está bem brilhante no céu”, lembra Bebel. Na lua minguante devemos parar e refletir o que fluiu ou não neste mês.

A menstruação não precisa ser um trauma. É um momento do mês onde estamos muito mágicas, onde podemos (e devemos) honrar o nosso corpo. É um processo de limpeza profunda de tudo aquilo que a gente viveu nos últimos dias”, alerta Bebel. Somos mulheres e devemos valorizar cada acontecimento do nosso corpo, especialmente algo que acontece todos os meses, né?

A FARM acredita no poder de comunicação da moda e busca embasar cada vez mais suas peças com conteúdos e histórias que sejam relevantes para as pessoas. Pensando nisso, surgiu a nova coleção de verão, chamada “Natureza Feminina”. Ela aborda diferentes formas de conexão – de mulheres e homens – com a natureza feminina que existe em todos nós. Dentro dela, nasceu o coletivo de estampas que trazem as fases da lua: cheia, minguante, crescente e nova. Assim como os arquétipos associados aos ciclos femininos: a mãe, a feiticeira, a donzela e a anciã, respectivamente. Veja algumas dessas peças:

Peças farm lua1
Reprodução/Divulgação

Arquétipos? Mas como assim? “O período pré-ovulatório, que é logo após a menstruação, é considerado o representante da lua crescente, mas isso não significa que os momentos coincidam, ok? A sua energia está com a da lua crescente, que tem o arquétipo da donzela, trazendo dinamismo e entusiasmo. Depois dessa semana, no momento da ovulação, a mulher fica associada à lua cheia, que é o arquétipo da mãe, tendo uma amorosidade maior. O período pré-menstrual (sim, a famosa TPM), é referente a lua minguante e tem como arquétipo associado a energia da feiticeira – o auge do poder e da intuição ampliada. Ao final, chegamos no período menstrual conectado a lua nova, cujo arquétipo referente é o da anciã, sendo muito propício ao recolhimento e reflexão”, explicou Bebel. Uau, uma verdadeira aula, hein? Ah, ela também alertou que não existem divisões fixas (tipo, sete dias para cada fase), os períodos variam de menina para menina.

Peças farm lua
Reprodução/Divulgação

Para finalizar, Bebel deu uma dica fácil e prática para se conectar com seu ventre. “Coloque a mão sobre seu ventre e, em silêncio, pense em alguma frase ou mantra que surja na sua cabeça, como por exemplo ‘o meu ventre é o meu centro de força e poder’. Se quiser amplificar ainda mais essa conexão, faça isso com um cristal em cima dele, a ágata cornalina é ótima para isso”.

Continua após a publicidade

Publicidade