Zara Larsson sobre Lollapalooza BR: “minha expectativa tá alta”

A cantora se apresenta nesta sexta-feira, 23, às 18h30 no Palco Axe.

Por Bruna Nobrega 23 mar 2018, 13h15

Zara Larsson desembarcou no Brasil no começo da semana e, após apresentações no Lollapalooza da Argentina e do Chile, estava contando os dias para o Brasil que acontece nesta sexta-feira (23/03). A cantora se encontrou com a CAPRICHO e falou sobre os preparativos para o show, o novo álbum e a mensagem #GirlPower que passa. Vem ler:

  • CH: Você chegou há uns dias. Deu tempo de aproveitar alguma coisa?

    Zara: Sim, eu vi algumas coisas no Rio de Janeiro e gostei bastante. Infelizmente não consegui ver o Cristo, mas, na próxima vez, com certeza. Eu nunca estive na América do Sul, então está sendo incrível.

    CH: Você já se apresentou no Lollapalooza da Argentina e do Chile. Tem alguma diferença entre shows ou, por ser o mesmo festival, acaba sendo a mesma vibe?

    Zara: Não, é bem diferente. Eu acho que depende de qual palco você está, de qual horário você se apresenta, tem vários fatores que alteram, mas eu definitivamente acho que é diferente. Tem sido incrível até agora então eu tenho altas expectativas quanto ao Brasil, mas eu aposto que eles vão chegar à altura.

    CH: Você está preparando algo especial ou diferente para o show daqui?

    Zara: Humm… não sei. Eu tentei aprender alguma frases pequenas em português, mas eu sempre me esqueço delas quando estou no palco. E eu prefiro não falar do que dizer errado, mas vou manter a setlist e tentar apresentá-la da melhor forma possível.

    View this post on Instagram

    Rio De Janeiro! Im here!! 🇧🇷🌸

    A post shared by Zara Larsson (@zaralarsson) on

    CH: Você passa uma mensagem bem forte de #GirlPower. Qual é a importância de ter essa voz para as meninas que te acompanham?

    Zara: Acho que é muito importante. É algo que eu realmente me importo e que eu gostaria de poder fazer mais, até. Talvez trazer para a minha música ou ser parte de minha organização, ou até mesmo criar uma, eu adoraria isso. Porque eu sinto que, neste momento, os jovens estão se impondo mais, eles querem fazer parte de um movimento e fazer a diferença. Nós queremos sentir que temos poder, sabe? E eu realmente acredito que nós temos mesmo. Então eu amaria fazer algo assim.

    Continua após a publicidade

    CH: E acho que seus fãs mesmo precisam e apoiam essa mensagem.

    Zara: Com certeza. Eu sinto que eles dão muito apoio e são incríveis quando se trata de assuntos que eu apoio, como feminismo ou a comunidade LGBTQ. Eu sinto que ninguém na minha fanbase seria homofóbico ou racista, porque isso não é o que eu represento. Então é uma boa comunidade e, se todos nos juntarmos, acho que ótimas coisas podem acontecer.

    View this post on Instagram

    Ah I wish I didn’t have to get mad every time I write something about women’s issues, but how could I not? And I wish I didn’t have to bring up men when I do, but then again, how could I not? 🚺 I said “could you men stop raping and killing women” in an earlier post and the amount of men getting offended by that is astounding. 98% of sexual predators are men. And it’s no coincidence that this happens in a patriarchal world. (Google is your friend) 🚺 The idea that men wanna to focus on the fact that NOT ALL MEN are bad instead of the fact that women (or other men), are being raped and killed by men is so… weird… We know ALL MEN don’t rape and kill? We’re aware? But how come that almost all rapists are men? 🚺 Also, we all know that men are being victims of domestic abuse, rape etc. but not feeling like they can talk about it because of toxic masculinity (Google), the same one that tells them to not be vulnerable and show feelings, cause it’s “unmanly”. But the difference is that the male violence is a part of a social structure that need to be demolished. 🚺 The truth is, change is uncomfortable and it’s not meant to be easy. Do you think the white people back in the days though “oh… ok… so Rosa wanna sit in the front of the bus? That’s fine!” Or if all the men back in the days thought “oh! Women wanna vote? Ok! Let them!” We came a long way from that time, sure! But are we there yet? No. Racism is still alive, just as sexism. 🚺 Instead of some of you men being heated about me stating facts, y’all should be mad ABOUT the facts. How come we can still let this happen? How come that some men rather call me a feminazi than listen to what I actually say? Why don’t you men join and make a change? Cause change is more important than an offended mans feelings. 🚺 🌸🌸🌸 Some one asked me “so what do a man do that wants to help?” Believe women that share their stories of abuse, don’t laugh at men that express their emotions, don’t be homophobic or transphobic, join a protest, tell your boys off when they joke about sexist things, don’t be a racist little fuck, don’t have sex with someone who is obviously too drunk, don’t send unwanted dickpics. 🌸🌸🌸

    A post shared by Zara Larsson (@zaralarsson) on

    CH: Eu queria falar sobre seu próximo álbum. Vai ser lançado este ano? O que podemos esperar?

    Zara: Eu realmente espero que sim. Ainda não está pronto, mas quero lançar um single daqui uns dois meses, talvez um outro depois, para ver como as pessoas reagem. Eu realmente quero lançar algo este ano.

    CH: Você já sabe qual vai ser esse próximo single?

    Zara: Nós temos algumas músicas bem boas que estão apenas esperando para serem lançadas. A gente só precisa escolher uma e isso é tão difícil.

    CH: E, sobre o álbum mesmo, qual a vibe que você quer passar com ele?

    Zara: Eu me lembro de tuítar alguns meses atrás que iria ser superromântico, porque eu estou apaixonada e namorando, mas não é. Não é aquele clichê romântico de jeito nenhum. Tem definitivamente algumas canções de amor fofas, mas eu acho que não será tão diferente do que vocês já ouviram de mim. Com sorte, tudo vai ser melhor. Melodia, produção, letra… eu sinto que apenas preciso aumentar o nível e continuar crescendo.

    Continua após a publicidade
    Publicidade