Sony oferece “liberdade” a Kesha… Se ela mentir sobre assédio sexual

"Prefiro deixar que a verdade arruine minha carreira", disse a cantora

Por Gabriela Zocchi Atualizado em 24 ago 2016, 14h26 - Publicado em 4 abr 2016, 11h30

O briga entre Kesha e Dr. Luke está longe de acabar. No último domingo (3), a cantora aumentou a polêmica em cima do caso ao dizer que a gravadora Sony Music pediu que ela mentisse sobre o suposto assédio sexual que sofreu do produtor.

//instagram.com/p/BDvyvyWO1Yu/embed/

“Então… Me ofereceram minha liberdade se eu mentisse. Eu teria que pedir desculpas publicamente e dizer que nunca fui estuprada. É isso o que acontece por trás das portas. Eu não vou engolir a verdade. Prefiro deixar que a verdade arruine minha carreira do que mentir para um monstro de novo”, escreveu.

Em fevereiro, Kesha perdeu a primeira liminar que pretendia liberá-la de seu contrato com Dr. Luke e com a Sony Music. A cantora alega que o produtor a drogou, a sequestrou e a abusou física e psicológicamente há cerca de 10 anos e, por isso, tenta se livrar do contrato com ele. Em março, ela recorreu à decisão da justiça.

Continua após a publicidade
Publicidade