Sexualidade e feminismo estão entre os temas de Degrassi: Next Class, nova série da Netflix

Conversamos com os protagonistas e eles nos contaram tudinho sobre essa estreia!

Por Gabriel Justo Atualizado em 17 ago 2016, 18h22 - Publicado em 15 jan 2016, 20h20

Imagine vários grupinhos de amigos convivendo numa escola onde tudo vira assunto: a banda da galera que curte música, a eleição para o grêmio estudantil e, claro, os casais que vão e voltam sem parar. Pode lembrar um pouco Malhação, pode parecer a sua vida, mas estamos falado de Degrassi: Next Class , nova série original da Netflix que estreia nesta sexta-feira (15).

Apesar de ser mais uma “série original” do serviço de streaming, Next Class é uma sequência da franquia canadense Degrassi , que desde os anos 80 já teve várias temporadas, todas muito bem sucedidas – inclusive, revelando artistas que hoje são sucessos mundiais, como Drake e Nina Dobrev . Protagonistas das últimas temporadas e também dessa “nova era” de Degrassi, R icardo Hoyos e Amanda Arcuri conversaram com a CAPRICHO sobre as novidades de Next Class, que agora ultrapassa as fronteiras do Canadá e será exibida no mundo todo, via Netflix.

“É muito bom fazer parte desse novo começo e estar onde essas pessoas já estiveram. Tipo… Eu trabalho e ando pelos mesmos corredores por onde o Drake e a Nina Dobrev já passaram, sabe? É um sentimento muito bizarro e muito gostoso.”, comentou Ricardo, lembrando que existe uma pressão, mas que isso o estimula a fazer um trabalho legal. A colega de elenco concorda. ” Ter a oportunidade de seguir os passos deles, ou pelo menos tentar, é incrível. É uma grande responsabilidade, mas fico feliz de ter que lidar com ela”, disse Amanda.

Segundo eles, algumas coisas na franquia mudaram em relação a Degrassi: The Next Generation, que até o ano passado era exibida pela MTV canadense. ” A Netflix trouxe um novo formato em que podemos ser mais livres em relação ao que falamos. Nós podemos ser mais autênticos agora”, diz Ricardo. ” Estamos mais picantes e falando mais sobre assuntos mais picantes, sobre coisas que os adolescentes vivem, mesmo”. E falam mesmo, viu? Transar pela primeira vez, ser gay, não aceitar o próprio corpo e até feminismo são assuntos recorrentes na trama.

Esse provavelmente é o maior acerto de série: falar sobre as coisas da maneira mais autêntica possível “, disse Hoyos, de novo sendo endossado por Arcuri. “Nós queremos ter certeza que a mensagem chegue às pessoas que nós queremos atingir. Muita gente acha que ser gay não é normal porque a sociedade não fala abertamente sobre sexualidade . Eu acho importante falar sobre isso para que as pessoas que sofrem com isso saibam que isso acontece com todo mundo e que elas não estão sozinhas “, disse a atriz.

Um desses assuntos “picantes”, por exemplo, é a masturbação feminina . Em um dos episódios, Lola (personagem da Amanda) morre de vergonha por querer se masturbar. A atriz comentou que as meninas não deveriam se envergonhar de fazer algo que os meninos fazem com tanta naturalidade. ” Se os meninos podem, por que as meninas não? Conhecer você mesma e o seu corpo é algo muito importante “, disse ela. “Passar essa mensagem é muito importante pra mim porque é um tabu e ninguém quer falar sobre masturbação, especialmente com garotas. Eu quero mostrar a elas que isso é normal e todo mundo faz .”

Interpretado por Ricardo, o galã protagonista Zig também tem seus dilemas. E le quer muito transar com Maya, sua namorada, mas ela ainda não se sente preparada . Ao mesmo tempo em que ele insiste, ela se engaja no grupo feminista do colégio, o que acaba irritando Zig e aumentando a tensão no casal . No entanto, Hoyos defende que a postura de ‘bad boy’ do seu personagem não deve durar muito. ” Ele vai descobrir que o feminismo não tem nada de ruim. É só algo que ele ainda não sabe, mas vai aprender “, completou.

A primeira temporada de Degrassi: Next Class já está disponível na Netflix ! Se você não tinha nada pra fazer no final de semana… agora tem!😉 De nada!

Continua após a publicidade
Publicidade