“Quero que meus livros retratem o mundo como ele é”, diz Jenny Han, autora de PS: Ainda Amo Você

O livro, recém-lançado no Brasil, é uma continuação do best-seller Para Todos os Garotos que Já Amei

Por Gabriel Justo Atualizado em 24 ago 2016, 14h53 - Publicado em 26 fev 2016, 15h10
Pra cada crush, uma carta. Assim é a vida de Lara Jean, a protagonista de Para Todos os Garotos que Já Amei, livro da americana Jenny Han que acaba de ganhar uma continuação. No recém-lançado PS: Ainda te Amo, pela primeira vez uma carta escrita por Lara chega a um destino diferente do que sua caixinha azul que ganhou da sua mãe: Peter, o seu grande amor, acaba lendo os sentimentos da garota. Mas seria uma pena se, logo agora que eles estão se acertando, um amor do passado dela aparecesse do nada, né?
 
 
Ai, quantas reviravoltas! Talvez porque muitas das história que Jenny conta são inspiradas na sua própria adolescência – sim! ela escrevia cartas para os seus crushs! “Era um jeito de entender os meus sentimentos e conseguir encerrar os meus relacionamentos de uma vez por todas. Elas são parecidas com as cartas das personagens dos meus livros. Eu inclusive ainda as guardo comigo! Isso é um pouco embaraçoso porque eu as leio e parece que tudo aquilo aconteceu ontem“, contou a autora em entrevista à CAPRICHO
 
Dizer as coisas diretamente pra pessoa é um pouco difícil, então eu escrevia. Ao escrever, você experimenta coisas, processa seus pensamentos e entende o que você está sentindo.”, explicou Jenny. “O primeiro amor é uma experiência muito intensa e é importante que você escreva sobre isso, especialmente para o seu futuro porque você pode relembrar como você se sentia no passado. É uma maneira muito segura de curtir o amor.
 
 
Justamente pela inspiração na vida real, as obras de Jenny (11 no total, duas já publicadas no Brasil) sempre fogem de alguns padrões. Lara Jean, por exemplo, é de uma família de descendência coreana que fala sobre namoro, sexo e camisinha sem tratar os assuntos como um tabu. “Eu tento fazer com que os meus livros sejam o mais realísticos possíveis e retratem o mundo do jeito que ele é de verdade”, explicou Jenny, que usa sua própria família (que é coreana) e seus amigos como referência. “Amizade entre garotas podem ser bem complicadas e às vezes você pode até passar mais nervoso com elas do que com o seu namorado. Isso me inspira muito.”
 
Depois de escrever, o que Jenny mais gosta na vida é Buffy, uma das séries de TV de maior sucesso no fim dos anos 90. Nela, o casal protagonista acaba não ficando junto no final (sorry pelo spoiler, miga!), o que deixou Jenny bastante decepcionada. “Se eu fosse ela, teria escrito uma carta para o Angel”, disse, rindo. “Ela o ama mais que tudo no mundo, então por que não? Eles foram feitos um pro outro!” Fica a dica então, miga. Assim como Jenny e Lara, escreva para o crush! 😉
 
Publicidade