Misha Collins, de Supernatural, ajuda mulheres sobreviventes de genocídio

Ator usou parte do lucro arrecadado com sua ONG para ajudar vítimas de violência em Ruanda.

Por Isabella Otto Atualizado em 10 ago 2018, 12h32 - Publicado em 10 ago 2018, 12h27

O ator Misha Collins, conhecido por interpretador Castiel em Supernatural, revelou em entrevista ao site Entertainment Weekly que ajudou diversos sobreviventes do genocídio em Ruanda, em especial mulheres. O dinheiro veio da ONG criada pelo americano, chamada GISH (The Greatest Intertanional Scavenger Hunt). Para estimular as doações, Misha promove caças ao tesouro virtuais com seus fãs e cerca de US$ 265 mil foram doados para aproximadamente 250 africanas.

O genocídio em Ruanda, país localizado na região dos Grandes Lagos, na África, começou em 1994, quando Hutus e Tutsis entraram em conflito. O primeiro povo era maioria no país e mantido pela agricultura. O segundo era minoria e mantinha a cultura da pecuária. Apesar de os Tutsis serem menores em quantidade, acabaram se tornando mais ricos e, devido a uma série de outros fatores, a diferença econômica se tornou motivo de guerra. Como eram maioria, os Hutus formaram um exército maior. Estima-se que, em três meses, quase um milhão de Tutsis tenham sido mortos. Entre 2002 e 2012, um tribunal, chamado Gacaca, foi criado e mais de duas milhões de pessoas foram julgadas. A sombra do genocídio continua até hoje e o país ainda vive uma política de repressão. É aquela coisa: os buracos são vários e muito mais embaixo, mas, para entender a história de Misha Collins, essas informações bastam.

O Castiel de Supernatural ouviu uma história de uma mulher chamada Olive, que estava no hospital e tinha acabado de dar à luz quando o genocídio começou. Militares invadiram o local em que ela estava e pediram para que todos saíssem. Foi um assassinato em massa, mas Olive conseguiu escapar. Ela se fingiu de morta e continuou assim durante cerca de três dias, quando os militares deixaram o local e ela se sentiu segura novamente. Ao voltar para o hospital, um milagre: seu bebê ainda estava vivo. O ator foi atrás dessa pessoa e disse que gostaria de ajudá-la. A africana, contudo, disse que não se sentiria confortável em receber toda a ajuda e ver outras companheiras, que também sobreviveram ao genocídio, ao léu. Collins então decidiu que realmente seria mais justo estender sua doação.

“Eu mal posso dizer o quão gratificante é”, contou à publicação. O ator também aproveitou para agradecer todos os seus fãs, que fazem doações e ajudam Misha a mudar tantas realidades pelo mundo. “Fico honrado de poder ajudar pessoas como Olive, que, em meio a tanto sofrimento, consegue perdoar, ser gentil e generosa”, emocionou-se.

Reprodução/Reprodução

Deus, manda mais uns anjos caídos desses pra terra, por favor!

Continua após a publicidade

Publicidade