Manu Gavassi faz comentário sobre fascismo e causa polêmica no Twitter

"Não vou nunca me intimidar", escreveu a cantora após entrar nos assuntos mais comentados por conta de um tuíte

Por Da Redação Atualizado em 17 jun 2020, 21h34 - Publicado em 17 jun 2020, 11h39
perfume ch o boticario fragrancia capricho mood
CAPRICHO/Divulgação

Eita, gente… Que confusão! Nesta quarta-feira de madrugada (17/6), Manu Gavassi fez um comentário no Twitter que causou a maior polêmica. Tudo começou quando, na terça (16), a cantora avisou na rede social que teria voltado a compor músicas e, por conta disso, acabou recebendo ódio gratuito online de um grupo de internautas.

Para rebater o hate, a artista compartilhou a seguinte mensagem: Se eu desperto a ira de fascistas com um simples tuíte falando que estou na minha casa escrevendo, imagina quando eu começar a ganhar Grammys”. O texto não pegou muito bem, uma vez que certas pessoas acharam equivocada a relação feita por ela entre fascismo e o fato de não gostarem de seu som. 

O fascismo é um termo de que o ditador italiano Mussolini se apossou em 1922 a fim de designar o seu governo totalitário – que privilegiava os conceitos de raça e nação sobre os valores individuais. Além de se referir ao seu sistema político nacionalista, imperialista, antiliberal e antidemocrático.

Mas é importante ressaltar que, como pontuou a SuperInteressante, nem os maiores estudiosos conseguem definir com precisão a expressão e não há nenhuma definição universalmente aceita do termo. Uma vez que algumas das principais características atribuídas ao fascismo italiano nem sempre estão em todos os regimes que são considerados fascistas. Clique aqui para entender melhor.

Enfim, o posicionamento de Manu gerou uma revolta na web e a cantora optou por fazer uma série de tuítes em que afirmava que não iria se intimidar.

  • “Não é sobre gostar ou não gostar, é sobre o que a maioria dessas pessoas que fazem comentários destrutivos acredita. Uma pessoa pode sim ter talento e mesmo assim você não achar seu estilo. Agora, existe um abismo entre algo não ser seu estilo e você querer destruir”, apontou. Ainda expôs que acredita que a sensibilidade e a arte incomodam esse grupo específico.

    “Não vou nunca me intimidar por comentários que me diminuem. Ou que diminuem qualquer mulher no entretenimento, temos exemplos diários disso. Vou fazer disso combustível para ser cada vez melhor no meu trabalho e propósito. É o que venho fazendo nos últimos 10 anos. Resumo: se eu despertei a sua ‘ira’ por estar na minha casa fazendo meu trabalho, que você não é de maneira nenhuma obrigado a ouvir e nem saber que foi lançado, se isso desperta ‘ira’ que é mais do que gostar ou não gostar, realmente algo está fora de equilíbrio em você”, finalizou.

    E aí, o que você achou?

    Continua após a publicidade
    Publicidade