Larissa Manoela enfrenta bullying até hoje: “só quem sofre sabe como é”

A atriz e cantora falou sobre seu terceiro livro e ainda deu dicas para quem sofre bullying como ela

Por Gabriela Zocchi Atualizado em 9 jul 2018, 15h26 - Publicado em 9 jul 2018, 14h20

No começo do mês passado, Larissa Manoela lançou seu terceiro livro, o Perguntas e Respostas #LariManoela, publicado pela editora Harper Collins Brasil. Em entrevista à CAPRICHO, a atriz e cantora contou o que mais a inspirou a criar um livro em que responde às dúvidas dos fãs.

larissa-manoela
Reprodução/Instagram

“A ideia do livro veio de algo que minha mãe fazia quando era mais nova: o caderno de confidências. Ela e as amigas enchiam o caderno de perguntas e daí o passavam de uma a uma, para elas responderem e contar todos os seus segredos”, revelou Lari.

Seu terceiro livro conta com perguntas feitas por amigos, parentes e até fãs e respondidas à mão pela atriz. Mas nem todas foram fáceis de responder, viu? “A mais inusitada foi se eu já tinha sido traída. E as mais difíceis de responder foram aquelas dinâmicas do tipo ‘quem você levaria para uma ilha deserta’?”, entregou a autora.

Continua após a publicidade

Em determinado trecho do livro, Lari confessa também que já sofreu – e ainda sofre – bullying, por isso quisemos ir mais além nesta história. “Eu comecei a sofrer bullying na época em que fiquei mais evidente na TV, mas isso não deixou de acontecer até hoje”, entregou a atriz. “Além das críticas nas minhas redes sociais, que recebo sempre, também preciso lidar com pessoas da minha idade ou um até pouco mais velhas que riem da minha cara ao me ver em algum lugar. Elas dão risada, fazem piada com o fato de eu estar ali e isso, obviamente, não é confortável para mim. Já passei por isso até mesmo em viagens com a escola”, explicou.

larissa-manoela-perguntas-e-respostas-livro-3
A capa do terceiro livro de Larissa Manoela, “Perguntas & Respostas” Harper Collins Brasil/Divulgação

Mas ela garante que aprendeu a não dar mais tanta bola para essa galera! “As pessoas têm um preconceito e uma dificuldade de entender e aceitar a minha profissão, o que é triste, mas hoje sou madura o suficiente para entender que quem faz isso não tem a menor noção do que está fazendo. Só quando a gente sofre bullying é que sabe como é”, completou Lari.

Para quem também enfrenta bullying, ela tem uma dica de ouro: “Nunca deixei de falar o que estava acontecendo para alguém, seja meus pais, um professor ou minhas amigas. É muito bacana poder contar com as pessoas que são próximas de você. Elas são uma fonte de segurança e isso é muito importante”, disse.

Certíssima, né? Ah, e mais um recado da Lari: “sempre que vir alguém sofrendo bullying, defenda-o”.

Anotou?

Continua após a publicidade

Publicidade