Lana Condor explica falta de boy asiático em Para Todos os Garotos… | Capricho

Lana Condor explica falta de boy asiático em Para Todos os Garotos…

Algumas pessoas criticaram o fato de Lara Jean não se apaixonar por um cara asiático no filme, mas atriz defendeu sua personagem

Por Da Redação Atualizado em 24 ago 2018, 17h38 - Publicado em 24 ago 2018, 15h17

Quando Para Todos os Garotos que Já Amei saiu na Netflix, o filme deu o que falar e não foi só porque a galera ficou apaixonada pela história de Lara Jean e Peter Kavinsky, mas também porque o longa gera uma boa discussão sobre representatividade. Você já parou para pensar em quantas protagonistas asiáticas já viu em Hollywood, especialmente em um filme que não é especificamente sobre algum país do continente? Pois é.

para-todos-os-garotos-que-ja-amei-lara-peter
Lara Jean e Peter conversam em cena de Para Todos os Garotos que Já Amei Divulgação/Netflix

Mas, por mais que Para Todos os Garotos… represente um passo importante para o mundo do entretenimento, algumas pessoas não ficaram 100% felizes com o resultado e criticaram o fato de nenhum dos cinco garotos para quem Lara Jean escreveu suas cartas também fosse asiático.

  • Em relação a isso, a atriz Lana Condor, que dá vida a protagonista, defendeu o trabalho e ainda alegou que a ideia era tentar fazer do filme o mais fiel possível ao livro de Jenny Han. “Se Jenny quisesse contar uma história diferente (da do livro), nós faríamos. Mas o que eu digo é: meu namorado da vida real é cubano, mas tem a pele muito clara. Às vezes as pessoas falam na internet: ‘é claro que ela estaria com esse cara branco’. Mas vem cá, então asiáticos só podem se apaixonar por asiáticos? Eu só posso ficar com pessoas da minha etnia?”, questionou Lana ao site The Cut. Ela namora namora o ator Anthony De La Torre, conhecido interpretar o jovem Jack Sparrow em Piratas do Caribe: A Vingança de Salazar.

    lana-condor-namorado-anthony-de-la-torre
    Lana Condor e o namorado Anthony De La Torre na premiere de Piratas do Caribe: A Vingança de Salazar Rich Polk/Getty Images

    “Fazer isso é ser racista sem nem perceber e continuar nos colocando em caixinhas em que não queremos estar. É muito injusto”, completou. Lana acredita que a gente tem que amar quem quiser, independente da cor. “As pessoas deveriam poder amar quem elas quiserem amar. Acho ofensivo continuar a dividir as pessoas por tribos”, afirmou.

    “Noah (Centineo) é tudo o que os fãs do livro pensavam que Peter Kavinsky seria, e no fim são essas pessoas que queremos agradar”, concluiu a atriz.

    O que você achou de Para Todos os Garotos que Já Amei?

    Continua após a publicidade
    Publicidade