Katy Perry explica por que resolveu falar sobre Taylor Swift

"Toda história tem três lado: o primeiro, o segundo e a verdade". Eita!

Por Da Redação Atualizado em 8 jun 2017, 21h39 - Publicado em 8 jun 2017, 15h29

O desentendimento de Taylor Swift e Katy Perry ganhou mais um capítulo. Em maio, a intérprete de Bon Apétit participou do quadro Carpool Karaoke de James Corden e não hesitou em falar sobre o assunto: “Honestamente, ela começou com isso e é hora dela acabar. Eu tentei falar com ela, mas ela não quis falar”, começou. “Ela não me respondeu e depois escreveu uma música sobre sobre mim (Bad Blood). Eu pensei ‘tudo bem, legal, legal’. É assim que você quer lidar com isso? Karma!”, completou, assim indicando que também teria escrito uma música de indireta para Taylor. A canção seria a recém-lançada Swish Swish.

Com novo álbum chegando às lojas nesta sexta-feira (09/06), Katy estrela a capa da nova edição da revista britânica NME, lançada nesta quinta-feira (08/06). Questionada pela publicação, a cantora revelou por que finalmente falou sobre a briga com Taylor: “Ninguém nunca me perguntou o meu lado da história. E toda história tem três lado: o primeiro, o segundo e a verdade”.

View this post on Instagram

Tomorrow's NME magazine: we meet Katy Perry, the world's most famous woman

A post shared by NME (@nmemagazine) on

“Quero dizer, eu não sou Buda. Coisas me irritam”, continuou a cantora. “Eu gostaria de virar a cara (para essas situações) todas as vezes, mas eu também não sou besta, sabe? Especialmente quando alguém tenta assassinar meu personagem para meninas pequenas (as fãs). Isso é tão errado”, disse referindo-se ao clipe de Bad Blood no qual Taylor, com ajuda de um grupo de garotas, tenta derrubar a inimiga interpretada por Selena Gomez.

Além disso, Katy também falou como se sentiu ao saber que Max Martin, amigo e colaborador da californiana, teria co-escrito a famosa música de Taylor contra ela: “Eu não posso falar por ele, mas ele não sabia (sobre quem a música falava). Eu não devo falar para ele o que é pode ou não fazer”, contou. “Eu não sou esse tipo de pessoa que fala ‘Você não pode fazer isso porque eu não gosto dessa pessoa’. Tipo, seja você e faça suas próprias decisões… Eu não sou a mãe dele”.

O que você achou? 

Continua após a publicidade
Publicidade