“Eu mereço isso”, diz Shonda Rhimes após receber prêmio por suas realizações na TV

A criadora de séries como Grey's Anatomy e Scandal recebeu um prêmio especial por suas realizações na TV

Por Gabriela Zocchi Atualizado em 17 ago 2016, 18h28 - Publicado em 26 jan 2016, 15h10

“Vou ser totalmente honesta com vocês: eu mereço isso completamente”. Foi assim que Shonda Rhimes começou o seu discurso de agradecimento ao receber o prêmio especial Norman Lear do Sindicato dos Produtores dos Estados Unidos (PGA) no último sábado (23).

Pode parecer um jeito meio arrogante de agradecer um prêmio, mas não! Shonda, que é produtora e roteirista de séries de muito sucesso, como Grey’s Anatomy , How to Get Away With Murder e Scandal, foi a primeira mulher ao receber o prêmio por sua realização na TV. Ela também foi uma das poucas que não teve medo ao brigar por séries com protagonistas mulheres, fortes e negras.

“Contra todas as chances, eu tenho, corajosamente, sido pioneira na arte de escrever sobre pessoas de cor como se fossem humanos “, disse Shonda. ” Bravamente, só dei papéis a atores que fossem os melhores . Eu encarei sem medo a ABC quando eles concordaram completamente que Olivia Pope (protagonista de Scandal) deveria ser negra. E levantei minha espada heroicamente e a abaixei de novo quando Paul Lee (presidente da ABC) nunca mais me confrontou por causa de qualquer uma de minhas escolhas para contar histórias”, completou.

Pensa que o lacre de Shonda acabou por aí? Que nada! Ela continuou mostrando que, na verdade, não acha o trabalho dela tão difícil assim. É que ela escreve sobre o que acredita. “Não é pioneiro escrever o mundo como ele realmente é. Mulheres são espertas e fortes. Não são brinquedos sexuais ou donzelas em perigos . Pessoas de cor não são audaciosas ou perigosas ou sábias”, disse. “Então, basicamente, vocês estão me dando um prêmio por eu ser eu mesma, que no caso eu totalmente mereço . Realmente, estou honrada por recebê-lo”, explicou.

Por fim, a autora e produtora ainda deu uma cutucada na indústria. “O respeito deste prêmio realmente significa o mundo. Só me deixa um pouco triste”, contou. “Antes de tudo, mulheres fortes e pessoas de cor complexas era algo que Norman (Lear, o produtor de TV que dá nome ao prêmio) fazia 40 e tantos anos atrás. Então como chegamos ao ponto de ter de refazer isso novamente? O que estamos esperando? Quer dizer, este salão está cheio de produtores, então provavelmente vocês estão esperando dinheiro”. E terminou assim. LACRE TOTAL!

Continua após a publicidade
Publicidade