Emma Watson faz discurso na ONU por igualdade de gêneros

Atriz lançou a campanha HeForShe no domingo (21/9), em Nova York

Por Bruno Dias Foto: Getty Images - Atualizado em 8 mar 2018, 11h19 - Publicado em 25 set 2014, 18h20

Depois de realizar sua primeira missão com embaixadora da ONU Mulheres apoiando as feministas do Uruguai, Emma Watson fez um longo e emocionante discurso na sede da ONU no domingo (21/9), em Nova York, para lançar a campanha HeForShe , que visa a igualdade de gêneros.

“Você pode estar pensando, ‘Quem é essa garota de Harry Potter? O que ela está fazendo na ONU?’. E essa é uma boa pergunta. Eu venho me perguntando a mesma coisa. Tudo o que eu sei é que eu me preocupo com o problema e quero ajudar a melhorá-lo”, falou Emma. “E ter visto o que vi e poder ter essa chance fez eu me sentir responsável e querer falar algo. Edmund Burke diz que tudo o que as forças do mal precisam para triunfar é um bom homem e uma boa mulher que não façam nada. Em meu nervosismo para esse discurso, eu tive momentos de dúvida. Eu repetia a mim mesma, ‘Se não sou eu, quem será? Se não agora, quando?’. Se você tem dúvidas parecidas, quando a oportunidade aparecer, eu espero que essas palavras te ajudem, porque na realidade, se você não fizer nada, vai levar 75 ou até 100 anos para que as mulheres recebam o mesmo salário que um homem fazendo o mesmo trabalho. Depois de 2086, garotas na área rural da África terão a oportunidade de estudar o ensino fundamental.”

Assim como fez no Uruguai, Emma Watson saiu em defesa das feministas e chegou a falar que o termo de tornou “impopular”, com muitas mulheres com medo de “se identificar como feministas. “Aparentemente, eu estou entre a classe de mulheres que suas expressões sãos vistas como muito fortes, ‘muito agressivas, isoladoras e anti-homens’, até mesmo desinteressante. Porque a palavra se tornou tão desconfortável?”, afirmou a atriz. “Eu fui nomeada (embaixadora da ONU) há seis meses e quanto mais eu falo sobre feminismo, mais eu tenho me dado conta de que lutar pelos direitos das mulheres tem frequentemente se tornado sinônimo de ódio aos homens.”

Como a campanha HeForShe visa não somente a defesa das mulheres, Emma também falou sobre a liberdade de todo cidadão em poder se “sentir livre para ser sensível”. “Ambos, homens e mulheres, deveriam se sentir livres para serem fortes. Se parássemos de definir um ao outro pelo que nós não somos e começássemos a nos definir pelo que somos – nós poderemos todos ser mais livres e é sobre isso que é a HeForShe. É sobre liberdade”, finalizou a atriz, que foi ovacionada pelos presentes.

Publicidade