Diretores explicam por que Frozen 2 não tem um vilão

Conversamos com a equipe responsável pelo filme e eles falaram ainda sobre a importância da família para a história

Por Reportagem por Raquel Zambon, de Burbank - Atualizado em 2 jan 2020, 11h00 - Publicado em 2 jan 2020, 10h00

Frozen 2 chega aos cinemas nesta quinta-feira (2/1) e estamos empolgadíssimas com a história! Na sequência do filme, Elsa finalmente passa a comandar o reino de Arendelle com a ajuda de Anna, mas tudo é colocado em perigo depois que a loira começa a ouvir um chamado da natureza e libera uma força misteriosa. Ao investigar o que aconteceu, as duas descobrirão uma floresta encantada e detalhes sobre o passado de seus pais e de si mesmas. Mais uma vez, o longa celebra a união entre as irmãs!

O primeiro filme redefiniu o que é amor verdadeiro e nos ensinou que existem diversos tipos de amor. Neste caso, abordamos o amor familiar, que vem da conexão entre essas duas irmãs. E isso está ainda mais forte neste filme”, contou o diretor Chris Buck à CAPRICHO. “Nós continuamos seguindo com este conceito inicial de tentar redefinir e mudar papéis um pouquinho. O significado de amor verdadeiro não é só receber o beijo do príncipe ou salvar o dia”.

“Família é uma das partes mais poderosas da vida e o vínculo que temos com nossos parentes são o material de diversas histórias épicas”, completou a redatora e diretora Jennifer Lee. “Mesmo que Anna e Elsa tenham dificuldades para ficarem juntas, elas nunca desistirão uma da outra, e essa é uma mensagem importante“, afirmou ela. No novo filme, o significado de família também é redefinido, já que Kristoff, Sven e Olaf, que não estão ligados às irmãs por sangue, também fazem parte desse grupo.

Reprodução/Disney

Frozen 2 inova ainda ao não trazer um vilão propriamente dito para a trama. “As situações com que os personagens precisam lidar no decorrer da história já são desafios por si só“, explicou o diretor de animação Tony Smeed. “Eles precisam lidar com a perda, com o crescimento, com a descoberta de quem são… E todo mundo se identifica com isso”, disse.  Essa foi a nossa âncora desde o início: mostrar quem eles são como personagens e continuar fieis a eles, colocando-os em novas situações desafiadoras e apresentando novas e inspiradoras formas para que eles lidem com elas. Sinto muito orgulho destas irmãs e do que elas fazem uma pela outra, do que estão dispostas a enfrentar e de sua coragem”, finalizou Lee.

Fofas, né?

Continua após a publicidade
Publicidade