De Repente 30 mostra que não vale a pena pular etapas da vida

Clássico da Sessão da Tarde, comédia com Jennifer Garner e Mark Ruffalo fala sobre a importância da adolescência

Por Gabriela Zocchi Atualizado em 17 ago 2016, 16h15 - Publicado em 19 Maio 2015, 11h56

Quem nunca pensou: “como seria bom ter 30 anos, uma casa só minha, um trabalho que eu amo e nada de escola para se preocupar”? Em De Repente 30 , o desejo de Jenna se torna realidade, mas também a faz perceber que a adolescência não é uma fase tão ruim assim.

O filme começa em 1987, com a Jenna (Christa B. Allen) de 12 anos infeliz com sua vida. Como a maioria das garotas de sua idade, ela queria ser notada pelo cara mais gato da escola, desejava ter seios maiores e sonhava em fazer parte do grupinho de populares. Acontece que seu único amigo de verdade era Matt (Sean Marquette), seu vizinho. Para tentar reverter a situação, Jenna faz uma house party para comemorar seu 13º aniversário e convida a turma toda. Só que, o que era para ser um momento incrível, vira um desastre depois que Jenna é trancada no armário e abandonada em sua própria festa.

Matt tenta ajudá-la, mas ela fica brava e o manda embora. Enquanto chora e pensa como seria bom ter 30 anos, “a idade do sucesso”, Jenna esbarra no presente do amigo (uma casinha de boneca com um glitter ~realizador de desejos~) e acaba dormindo.

Eis que, quando acorda, seu desejo vira realidade! Agora na pele de Jennifer Garner, Jenna tem 30 anos, um namorado lindo, uma casa incrível, um closet cheio de roupas e o trabalho de editora-chefe em uma importante revista de moda.

Depois do susto inicial, Jenna começa a curtir a vida com que sempre sonhou, até que percebe que não tem mais contato com seu best Matt (agora interpretado pelo fofo Mark Ruffalo ). Quando o reencontra, Jenna descobre que fez algumas escolhas erradas na adolescência, abandonou o amigo e acabou se transformando em uma mulher interesseira e oportunista. Com a ajuda de Matt, Jenna tenta melhorar sua vida de adulta e deseja, mais do que nunca, voltar a ter 13 anos.

Com cenas muito divertidas e diálogos fofinhos, De Repente 30 é legal porque mostra que: 1) independentemente da época, todo adolescente enfrenta os mesmos problemas e dilemas (e, olha só, eles passam). 2) Nunca é tarde para assumir seus erros e tentar concertá-los. 3) Toda fase da vida é importante e, mesmo que a adolescência pareça o fim do mundo, você vai sentir falta dela um dia!

Ah, e esse foi o primeiro filme de Ashley Benson, que fez uma ponta como uma das garotas populares da escola de Jenna. Fique de olho!

Continua após a publicidade
Publicidade