Cercado por reflexões, relembre os grandes destaques do K-pop em 2019

Saúde mental, machismo e encerramento de contrato dividiram os holofotes junto com os recordes

Por Gustavo Balducci - Atualizado em 23 dez 2019, 11h00 - Publicado em 23 dez 2019, 10h00
KIT DE NATAL CAPRICHO CACAU SHOW CHOCOLATE PORTA MAKE
CAPRICHO/Divulgação

Antes de listar quais foram os grandes destaques de 2019 para o k-pop, é válido dizer que o ano foi de grandes reflexões para o ritmo e toda a sua indústria. Enquanto a pluralidade de sons e visuais únicos continuava fazendo muito barulho, o gerenciamento dos grupos passou a ganhar maior importância após inúmeros problemas de saúde, polêmicas e perdas lastimáveis dividirem os holofotes com seus feitos e recordes. Uma vez que o K-pop tenha conquistado seu lugar na música global, em 2019 os fãs assumiram um papel decisivo na militância e protestaram contra o machismo que ainda rola nos bastidores, os escândalos sexuais envolvendo grandes idols e o afastamento de seus artistas favoritos. A saúde mental também foi o foco das discussões e, pela primeira vez, sentimos que as agências estão começando a abrir espaço para ter uma relação mais sincera com o público sobre todos esses problemas. Com isso em mente, é hora de recordar as melhores faixas de 2019 e aplaudir de pé os nomes que estão construindo um futuro melhor para o K-pop.

Divulgação/CAPRICHO

AS MENINAS:

As mulheres aqueceram a lista do ano e mostraram que sabem lutar pelo seu espaço na música. Começando por BLACKPINK, que nesse ano subiu nos palcos do festival americano Coachella, se tornou o 1º grupo de K-pop a atingir 1 bilhão de views no YouTube com o single DDU-DU DDU-DU e ainda lançou a implacável Kill This Love. Junto delas, o grupo TWICE tomou conta das paradas com a frenética Fancy e logo depois abriu o coração para falar sobre amadurecimento e sororidade feminina em Feel Special. Durante as últimas promoções, a integrante Mina revelou sua luta contra a ansiedade durante os shows e se manteve afastada por um período de recuperação. O quinteto Red Velvet veio de trilogia com as chicletes Zimzalabim, Umpah Umpah e a misteriosa PSYCHO.

Seguindo a lista, o MAMAMOO mais uma vez chegou para causar e botou várias indiretas no single HIP. Hwasa, a líder do grupo empoderado, também fez um solo com TWIT. Já a cantora Chung Ha começou o ano com a sedutora Gotta Go e dobrou com Snapping, rendendo a ela o título de Melhor Artista Feminina no MAMA 2019. Também foi um ano marcado pelos retorno de CL, que finalmente encerrou o seu contrato com a YG Entertainment e ganhou liberdade para exibir novamente todo seu talento. A ousada HyunA, banida pela própria agência no ano passado, agora volta pela gravadora do PSY fazendo um comeback colorido com Flower Shower. Também nos solos, Sunmi reinou com muito bom humor em NOIR e LALALAY. A menção honrosa vai para IU e Taeyeon, dois dos vocais mais poderosos e delicados da Coreia. Entre os debuts, o grupo ITZY levou a melhor e fez de DALLA DALLA um hit perfeito para a estreia; EVERGLOW, que foi uma forte concorrente a debut do ano, e AleXa, a primeira aposta da agência ZB Label, também brilharam. Em 2019, os girlgroups até ganharam um reality show só pra eles. QUEENDOM foi a competição que colocou AOA, Lovelyz, OH MY GIRL, (G) I-DLE, Park Bom e MAMAMOO (que saiu como o grupo vitorioso da edição) para competir em desafios semanais e performar as suas melhores faixas. O projeto misterioso LOONA também chamou atenção com o single Butterfly, e depois foi parar no topo do iTunes com a intimista 365, liberada este mês.

Continua após a publicidade

Enquanto algumas artistas vêm lutando ao longo do tempo para tornar o cenário igualitário entre homens e mulheres, a morte das cantoras Sulli e Goo Hara, ambas encontradas sem vida em pouco menos de 1 mês de intervalo, revelaram que o machismo ainda faz vítimas na Coreia do Sul. Leis mais rigorosas e ações para combater o cyberbullying estão sendo votadas após o acontecimento das tragédias.

OS MENINOS:

Eleito o artista do ano por quase todos os veículos e vencedor dos principais prêmios que concorreu, o BTS não poupou esforços e fez um pouco de tudo em 2019: lançou um novo álbum e bateu todos os recordes possíveis com ele; partiu em turnê por diversos países, entre eles o Brasil e a Arábia Saudita; lançou sua própria história em quadrinhos com o webtoon Save Me; e botou todo mundo pra jogar o game BTS WORLD – sem contar as parcerias e apresentações especiais. Se o grupo irá se alistar no serviço militar obrigatório ou não em 2020, não importa. O ARMY pode ficar tranquilo que ainda tem muita coisa pela frente. Quem também soube explorar todos os lados de seus integrantes foi o EXO. Entre solos, subunidades, parcerias com grifes e a partida de novos membros ao exército, o boygroup fez questão de presentear os fãs com OBSESSION no final de novembro. A SM, que administra o grupo, reuniu os maiores astros da agência para formar um verdadeiro esquadrão de idols para compor o SuperM. Fazendo estreia em solo americano, a nova aposta do fundador Lee Soo-Man quer trazer inovação para o ritmo através da tecnologia. SUPER JUNIOR, mais um nome da SM, segue completo fazendo boa música. O hit SUPER clap é a prova disso.

O MONSTA X também colaborou para a expansão do K-pop em 2019. Estrelando seu primeiro álbum totalmente em inglês, fazendo parcerias internacionais e se apresentando nos Estados Unidos, o grupo da Starship passou em turnê pelo Brasil e encerrou o ano com a triste saída do membro Wonho. Seus fãs continuam levantando tags e fazendo campanha para que a agência tome alguma providência. Além dele, Woojin, do Stray Kids, e Hwall, do The Boyz, também encerram seus contratos antes do ano fechar. As controvérsias envolvendo o resultado do reality Produce X 101 complicaram as atividades do recente X1, que quebrou recordes e figurou entre as melhores estreias da história do país. Ainda sem futuro definido, o grupo formado por jovens talentosos espera em silêncio o resultado final das investigações.

Continua após a publicidade

O terceiro álbum de estúdio, An Ode, fez do SEVENTEEN um ótimo exemplo de como o trabalho em equipe flui perfeitamente para o grupo. Nele você encontra Fear e HIT, dois clássicos do ano. Já os ahgases, como são chamados os fãs do GOT7, receberam o mini álbum Call my name de braços abertos. Jackson Wang, um dos sete integrantes do grupo, mostrou suas composições mais pessoais no projeto solo chamado MIRRORS.

O Stray Kids completou no começo do mês a sua trilogia de EPs intitulada Clé. Abusando do EDM em MIROH, seguindo com Yellow Wood, liberada em junho, e concluindo com vocais refrescantes de Levanter, o amadurecimento do grupo em tão pouco tempo é assustador. Em um ano cheio de novas faixas, o Stray Kids aponta para o futuro. Ao lado dele temos o grupo ATEEZ, que também decidiu criar uma trilogia para emplacar suas histórias em 2019. Já as units NCT 127 e NCT DREAM celebraram bons feitos ao longo dos últimos doze meses, mas quem chamou mesmo a nossa atenção foi o WayV, sua unidade chinesa. E fechando a nossa lista de veteranos, temos o ASTRO com dois álbuns em boas posições.

O debut do ano ficou com o TXT, novo grupo formado pela Big Hit Entertainment. O quinteto estrelado por Yeonjun, Soobin, Beomgyu, Taehyun e Hueningkai fez ótimos lançamentos e deve seguir o mesmo caminho que seus colegas de agência. Também fizeram estreia CIX e AB6IX, dois nomes para ficar de olho a partir de agora. Os solistas Kang Daniel e Woosung completam os nossos destaques.

Durante o ano todo, a CH selecionou os sons que marcaram cada um dos meses de 2019. Você confere a lista completa dos hits na nossa playlist do Spotify:

Continua após a publicidade

Publicidade