Ator diz que hoje não faria High School Musical – e o motivo é bem válido!

A decisão do astro aconteceu após o diretor da trilogia revelar qual seria o futuro de seu personagem

Por Amábile Reis - Atualizado em 8 jul 2020, 17h46 - Publicado em 7 jul 2020, 11h24

Recentemente, em entrevista para a Variety, Kenny Ortega, criador de High School Musical, comentou que Ryan Evans (interpretado pelo ator Lucas Grabeel) era um personagem gay. De acordo com o diretor, foi decidido que o irmão de Sharpay revelaria a sua sexualidade ao ingressar na faculdade, local em que se sentiria à vontade para ser quem realmente é.

Lucas Grabeel comentou que não interpretaria Ryan Evans, de HSM, hoje em dia Disney/Reprodução

Os planos não foram para frente porque, apesar do progressismo da Disney, Ortega achou que seria delicado retratar um personagem abertamente gay em 2006. “Estava preocupado, porque era voltado para a família e para crianças, de que talvez a Disney ainda não estivesse pronta para cruzar aquela linha e entrar nesse território”, afirmou.

E, então, a trajetória de Ryan acabou da maneira como conhecemos, sem abordar a discussão da pauta LGBTQIA+. Agora, após conhecer a sexualidade do jovem, Lucas afirmou que não sabe se aceitaria interpretar o personagem atualmente – por um motivo muito válido.

“Existem tantos atores gays talentosíssimos que também poderiam fazê-lo. Então, se High School Musical fosse feito hoje, não sei se eu interpretaria o Ryan. Como um homem branco e hétero, eu sei que, mesmo sem tentar, já tirei oportunidade de outras pessoas”, explicou para o TMZ.

Continua após a publicidade

Lucas refletiu também sobre a falta de representatividade LGBTQIA+ na época e comentou como acredita na importância de plataformas como a Disney mudarem esse cenário hoje em dia: “Precisamos começar a educar a todos o mais cedo possível e é por essa razão que isso cairá nas mãos da Disney, que cria tantos conteúdos incríveis para as mentes em desenvolvimento do futuro do nosso país. Nós, da indústria audiovisual, temos o dever de educar, assim como entreter.

E aí, o que você achou do posicionamento do ator?

Publicidade