Após 10 anos no limbo, JoJo volta com um álbum empoderador

Por causa de um contrato abusivo, a cantora não pode lançar mais nenhuma música. Livre, ela mostra que conseguiu dar a volta por cima

Por Gabriela Zocchi 29 out 2016, 11h37

JoJo está de volta! A cantora americana, que bombou na música lá em 2006 com o hit Too Little Too Late, foi colocada no limbo por sua antiga gravadora, a Blackground Records, que não a deixou lançar nenhum álbum por sete anos. Em 2014, a gata finalmente conseguiu se livrar do contrato e então assinou com a Atlantic Records. Há duas semanas, JoJo voltou com tudo com seu terceiro álbum Mad Love. Em conversa com a CAPRICHO a cantora falou sobre o novo trabalho e revelou como conseguiu dar a volta por cima.

Divulgação
Divulgação

CH: Sei que é difícil escolher, mas qual é a sua música preferida de seu novo disco, Mad Love?

JOJO: I Am é uma das minhas favoritas. Eu a cantei ao vivo pela primeira vez outro dia em Nova York e adorei. Ela tem uma mensagem muito simples e direta, mas é algo do qual às vezes preciso me lembrar. No fim do dia, não há nada mais importante do que ser você mesma e merecer amor.

CH: Este álbum conta com parcerias incríveis, com gente como Wiz Khalifa e Alessia Cara. Como eles acabaram em seu disco?

JOJO: A Alessia é minha amiga, ela me apoia muito e já me contou que cresceu ouvindo minha música. Ela foi uma das primeiras pessoas que convidei para ouvir meu álbum. Ela amou o disco e disse que a música I Can Only era a sua preferida, então, quando ela estava fazendo turnê pela Europa, perguntei se ela queria cantar comigo nesta faixa, ela gravou seu trecho lá mesmo e mandou para a gente. E eu amei como ficou. Ela é uma artista incrível, amo o que ela tem feito com a música e o que ela representa para garotas jovens. Ela tem uma alma muito jovem e talentosa. E com o Wiz, eu estava imaginando quem seria uma boa pessoa para segurar a mensagem que a música F*ck Apologies tem e pensei que ele seria perfeito. Aí conversamos, ele adorou a música e gravou sua parte.

CH: Você já disse em entrevistas que algumas músicas do álbum, como a própria Mad Love, são sobre um relacionamento do qual você não conseguia abrir mão. Como você finalmente conseguiu sair dessa e que conselho daria para garotas que passam por isso?

JOJO: Essa música foi mesmo inspirada em um relacionamento do qual eu estava tentando me livrar. Acho que, se você passa por isso, tem que dar um jeito. Faça uma lista se precisar, com as coisas positivas e negativas que você sente quando está com aquela pessoa. Se essa lista pende mais para o lado negativo, então reconsidere o namoro. Eu encorajo as garotas a tirarem um tempo para entender a si mesmas e se curtirem. Às vezes a gente coloca muita atenção em uma pessoa e, na verdade, podemos usar essa atenção para nós mesmas, para ver como a gente se sente por dentro, sabe?

Divulgação
Divulgação

CH: Recentemente, você escreveu um artigo para o site Motto em que falava sobre seu corpo e como algumas pessoas da indústria da música a encorajaram a perder muito peso pelo simples fato ser famosa. Quando foi que você percebeu que eles estavam errados? 

JOJO: Eu nunca parei para pensar no meu peso até completar 17 anos. Até então eu comia o que queria e realmente não pensava no meu corpo. Levava a vida numa boa. Então, quando fiz 18 anos, algumas pessoas acharam que podiam falar comigo sobre a minha imagem e acabaram colocando muita pressão em mim para que eu fizesse dietas malucas e tentasse ficar com um corpo que eles achavam “ideal”. Isso fez com que eu me sentisse inferior e logo percebi que a vida não foi feita para a gente pensar assim. A vida é feita para viver e para a gente se curtir. Tentar se encaixar nos padrões que algumas pessoas consideram como beleza não vale a pena.  Focar nisso estava me deixando muito triste, enquanto outras coisas muito mais importantes estavam rolando. E foi assim que percebi que quem eu era não estava ligado à forma como as pessoas viam meu corpo ou meu estilo.

Continua após a publicidade

CH: Sua gravadora antiga (a Blackground Records) a colocou em um limbo, sem deixar que você lançasse um álbum novo por sete anos. Qual é o sentimento de finalmente poder lançar um novo trabalho?

JOJO: O sentimento é meio indescritível. É uma mistura de emoções. Todo mundo tem seu próprio caminho e no meu tinha uma barreira, mas consegui passar por ela. Acho que a palavra que mais representa esse momento na minha vida é alívio. Eu me senti muito aliviada ao lançar este novo disco. Eu não fiquei completamente parada nestes 10 anos. Lancei algumas mixtapes, fiz coisas no YouTube, sempre mantive contato com meus fãs… Eles me deram muita energia para continuar tentando em um momento em que realmente questionei se valia a pena seguir nesse caminho, sabe?

CH: Você deve sair em turnê em breve. Pretende vir ao Brasil?

JOJO: Com certeza. A última vez que fui ao Brasil eu tinha uns 15 anos. Quero muito, muito poder visitar o país, participar de alguns festivais, e poder conhecer melhor algumas cidades, porque quando fui não consegui fazer nada. Agora que estou mais velha, quero curtir a vibe brasileira e vivenciar de verdade o país.

View this post on Instagram

only time we look back is to smile at our haters 😄😘💋

A post shared by JoJo. (@iamjojo) on

CH: Você acabou de postar uma foto falando sobre haters. Como lida com eles?

JOJO: Eu tento ficar longe deles. Na verdade, não encontro tanto ódio nas redes, sabia? Acho que quando a gente foca na positividade, você não vê tanto o ódio. Nesta foto especificamente, eu me referi a haters como as pessoas que duvidaram de mim ou que pensaram que eu não conseguiria dar a volta por cima e voltar a cantar. Neste caso, acho você deve rir na cara da pessoa e acreditar que tudo é possível.

Continua após a publicidade
Publicidade