Antônio Oliva, filho da ex-jogadora Hortência, comanda festas pelo Brasil como DJ

Você precisa conhecer o projeto de música eletrônica do garoto, o On'A Beat

Por Gabriela Zocchi - Atualizado em 24 ago 2016, 11h41 - Publicado em 7 ago 2016, 11h00
Se você curte balada e música eletrônica, precisa conhecer o DJ Antônio Oliva. Com apenas 18 anos, o garoto toca em algumas das principais casas noturnas do Brasil, como o Cafe de la Musique, ao lado do amigo Fernando Arruda, com quem tem o projeto On’A Beat. Além de lindo, ele manda muito bem nos remixes!
 
 
A vontade de comandar a noite surgiu de repente. “Um dia, fui a uma festa e subi na cabine de DJ. Gostei muito de estar lá e ver a galera pular e pensei: ‘quero ser igual a esse cara'”, contou à CAPRICHO. Desde então, ele passou a fazer aulas de DJ e, quando foi chamado para tocar em sua primeira festa, decidiu se juntar ao amigo Fernando. “Nós dois estávamos nervosos e pensamos: ‘por que não fazermos juntos na primeira vez?’. Desde então não nos separamos mais”, explicou.
 
//instagram.com/p/BCBiCOBrgCd/embed/
 
Por enquanto, o On’A Beat tem se especializado em fazer remixes de outros artistas, mas em breve a dupla deve começar a produzir suas próprias músicas. “Acho que até o final do ano teremos algumas”, entregou Antônio, que se inspira em DJs como Steve Aoki e Armin van Buuren.
 

[soundcloud url=”https://api.soundcloud.com/tracks/271155552″ params=”auto_play=false&hide_related=false&show_comments=true&show_user=true&show_reposts=false&visual=true” width=”100%” height=”300″ iframe=”true” /]

 
Quando não está fazendo música, Antônio se dedica aos estudos (ele cursa administração em São Paulo), joga futebol, videogame, e sai com os amigos e a namorada, a estudante Fernanda Lara.
 
//instagram.com/p/9ma_wuIs_K/embed/
 
Embora seja filho da Hortência, uma das maiores jogadoras de basquete do Brasil, a paixão esportiva de Antônio é outra: o hipismo. O gato chegou a pensar em concorrer a uma vaga na Olímpiada do Rio 2016, mas acabou desistindo do processo. “Eu teria que ficar seis meses fora do Brasil, num lugar que não tinha nada a ver comigo, para ter uma chance muito pequena de poder de fato concorrer”, explicou. “Não queria perder a faculdade nem me afastar da música, por isso decidi adiar esse sonho”, contou. “Mas nada me impede de tentar participar da próxima”.
 
//instagram.com/p/n3rWmnos5T/embed/
 
O mesmo não pode ser dito de seu irmão mais velho, João Victor, que representa o Brasil no hipismo no dia 10 de agosto. Para Antônio, o sonho no momento é “tocar um dia no Tomorrowland e ter o trabalho reconhecido”.
 
Publicidade