A apaixonante adaptação de Heartstopper vai encantar o público

A série inspirada nos livros de Alice Oseman honra todo o amor que recebe dos fãs com um enredo perfeito

Por Anny Caroline Atualizado em 17 abr 2022, 16h38 - Publicado em 17 abr 2022, 10h03

Amor, muita alegria e borboletas no estômago são apenas algumas das sensações que você vai experienciar com a adaptação de Heartstopper. Com personagens cativantes, um enredo muito fiel aos livros e romances que te deixarão sorrindo de orelha a orelha, a nova série da Netflix aborda temas importantes de forma leve e significativa.

A produção conta a história de Charlie Spring e Nick Nelson, interpretados por Joe Locke e Kit Connor, respectivamente. Eles estudam em uma escola britânica só para meninos e Charlie está no começo de mais um ano letivo após passar por um período muito difícil em que sofreu bullying e homofobia dos alunos que descobriram que ele é gay. Já Nick é um popular jogador de rugby que começa a se aproximar de Charlie quando é escolhido como dupla dele em uma das aulas do colégio. Com um característico e tímido “oi”, uma forte e sincera conexão surge entre os dois.

Charlie se encanta rapidamente por Nick e seus amigos (um trio formado por Tao, Elle e Isaac) logo o avisam que o atleta é hétero e que o personagem interpretado por Locke corre o risco de se magoar por não ser correspondido. Só que Nick começa a perceber que seus sentimentos por Charlie são bem mais intensos do que imaginava e podem ultrapassar a barreira da amizade.

Nick e Charlie em Heartstopper; Nick está olhando para Charlie e sorrindo
Nick e Charlie em Heartstopper Netflix/Divulgação

Tendo Alice Oseman (autora das HQs que inspiram o enredo) como responsável pela criação do roteiro e envolvida nos detalhes da produção, é muito difícil que os 8 episódios decepcionem algum fã da obra original. Na verdade, a adaptação honra todo o amor que recebe do público que já conhece a história, com momentos idênticos aos que são lidos nas páginas da escritora. É como ver, literalmente, uma história maravilhosa e importante saindo do papel. Os recursos de efeito visuais ajudam ainda mais a criar essa sensação e a trazer uma atmosfera mágica e magnética ao enredo.

Isso se completa com o elenco, que é outro grande acerto da série. Foram escolhidos atores que se aproximam da real idade dos personagens e eles entregaram ótimas performances durante a trama. Joe e Kit, nossos protagonistas, conseguiram com que aquela faísca entre Charlie e Nick realmente atingisse e fosse sentida por quem está assistindo. Seja brincando na neve, conversando ou no simples toque de mãos, as interações dos dois estavam sempre repletas de sorrisos e muito amor.

Nick e Charlie, de Heartstopper, tocando bateria; Charlie está ensinando Nick a tocar o instrumento segurando as mãos dele
Nick e Charlie, de Heartstopper, tocando bateria Rob Youngson/Netflix/Divulgação

Mas não podemos deixar de falar dos personagens secundários, que também tem histórias bastante significativas e são muito bem explorados na produção. Elle (Yasmin Finney) é uma garota trans que acaba mudar de escola e agora estuda em um colégio só para meninas. Lá, ela conhece Tara e Darcy (Corinna Brown e Kizzy Edgell), que estão começando a assumir o namoro enquanto Elle tenta lidar com seus novos sentimentos por Tao.

Continua após a publicidade

Por outro lado, Tao está preocupado com a relação de Charlie e Nick. Ele começa a se sentir deixado de lado no grupo e fica com receio de que o amigo sofra, já que o viu passar por muito bullying na escola no ano anterior. Com Charlie entrando para o time de rugby, essa aflição aumenta ainda mais por culpa da presença de Harry (Cormac Hyde-Corrin) no time, já que ele que apresenta falas e comportamentos homofóbicos.

No cast jovem, ainda temos Imogen (Rhea Norwood), uma garota divertida que está apaixonada por Nick, Tori (Jenny Walser) irmã de Charlie que sempre aparece com ótimas observações e comentários, Isaac (Tobie Donovan), amigo de Charlie que está sempre com um livro na mão, e a famosa Nellie, cachorrinha de Nick que rouba a cena com sua fofura.

Elenco de Heartstopper posando para foto de divulgação; eles estão sorrindo e segurando os roteiros da série
Elenco de Heartstopper Rob Youngson/Netflix/Divulgação

Durante a série, podemos assistir a evolução destes personagens e como eles lidam com seus processos de autodescoberta e aceitação, sendo que os detalhes são sempre a melhor parte. As redes sociais, as pesquisas no Google e as mensagens de texto, que representam muitos dos diálogos do roteiro, mostram não só uma conversa mas também um pouco do que o próprio protagonista está pensando, já que temos aquelas situações em que se reescreve uma frase dezenas de vezes para encontrar a melhor forma de se expressar ou apenas para esconder um sentimento por medo.

São momentos como esse que marcam muito do desenvolvimento de cada um, indo desde como Charlie enfrenta Ben (Sebastian Croft), com quem teve um relacionando escondido e tóxico, até Nick usando as pesquisas e vídeos para descobrir mais sobre bissexualidade.

Nick e Charlie, da adaptação de Heartstopper; Nick está olhando pra frente e sorrindo enquanto Charlie olha para ele também sorrindo; ao fundo é possível ver o céu azul com nuvens brancas e folhas ilustradas nas cores rosa, amarelo e verde
Heartstopper Netflix/Divulgação

Abordando tópicos muito importantes com leveza, Heartstopper é tudo o que fãs estão esperando e um pouco mais. A série deixará o público de coração aquecido e cheio de amor pelos personagens, trazendo aquela sensação de se apaixonar, de sentir seu coração acelerando ao se aproximar de alguém especial ou de perder o fôlego com o primeiro beijo. Assistir ao romance é uma jornada repleta de descobertas e de momentos divertidos e adoráveis que vão te conquistar.

Heartstopper estreia na Netflix em 22 de abril.

Continua após a publicidade

Publicidade