6 lições que aprendemos com os filmes indicados ao Oscar 2016

Mais do que entreter, os longas passam mensagens para levar pra vida toda

Por Gabriela Zocchi Atualizado em 24 ago 2016, 14h52 - Publicado em 28 fev 2016, 10h40

O Oscar acontece na noite deste domingo (28). Quem será que vai levar as estatuetas douradas pra casa? Além de entreter e contas histórias, os filmes indicados ao prêmio também passam vários ensinamentos. Quer ver?

O Regresso e a arte da superação

O filme com mais indicações ao Oscar deste ano mostra Leonardo DiCaprio na pele de Hugh Glass, um explorador que é atacado por um urso e abandonado no meio da montanha por sua equipe, que pensa que em pouco tempo ele estará morto. Apesar estar muito machucado, Hugh se recupera e enfrenta de tudo (tudo mesmo!) para retornar e conseguir se vingar. O exemplo pode ser meio tenso, mas mostra que a vida pode te chutar, te jogar pra baixo ou colocar um urso agressivo na sua frente, mas sempre existe uma maneira de se levantar e dar a volta por cima.
 

O Quarto de Jack e o poder do amor

Joy (Brie Larson) era adolescente quando foi sequestrada e trancada por um desconhecido em um quartinho no anexo de uma casa. O tal homem abusava dela e dessa “relação” surgiu Jack (Jacob Tremblay), um garoto de cinco anos que só conhece o ambiente dentro daquelas quatro paredes. Quando conseguem fugir, mãe e filho precisam contar com a ajuda da família para deixar o passado para trás e tentar se adaptar à vida normal. Se você ainda não viu, vai sair do cinema sentindo um amor gigante por sua mãe e vai perceber que às vezes um abraço e um beijo podem ajudá-la a passar pelos momentos mais difíceis.

 

Joy: O Nome do Sucesso e a ideia de não desistir nunca

Jennifer Lawrence concorre a mais um Oscar este ano, desta vez por seu papel de Joy. Joy é uma mulher criativa e determinada, que sempre sonhou em criar algo que mudasse o mundo, mas que teve que dar uma pausa em seus sonhos para lidar com a família problemática, o ex-marido que não larga de seu pé e a vida de mãe solteira. Quando é demitida, ela relembra de seu sonho e inventa o Miracle Mop, um esfregão que se torce sozinho. Apesar de ninguém acreditar nela, Joy não desiste de seu produto, luta com unhas e dentes para conseguir vendê-lo, coloca a cara na TV e… se torna uma das maiores empreendedoras dos Estados Unidos. Depois de assistir ao filme, você nunca mais vai ter coragem de desistir de nada na vida.

Continua após a publicidade


Divertida Mente e a importância das emoções

A Pixar por si só já dá a lição de que é possível simplificar as coisas mais complicadas. Afinal, quem mais conseguiria explicar o que se passa dentro da sua cabeça de forma tão fofinha? Na animação, a gente acompanha as emoções Alegria, Tristeza, Raiva, Medo e Nojinho que vivem dentro da cabeça da Riley, uma garota de 11 anos que acaba de mudar de cidade com a família. Longe dos amigos, de seu quarto e de tudo o que gostava, a mente dela fica uma bagunça! Mas, depois de quase fugir de casa e perder suas lembranças, ela descobre que todas as emoções são importantes e precisam ser sentidas, inclusive a tristeza. Por isso, sempre que bater aquela deprê, feche os olhos, chore um pouquinho e extravase o que está sentindo. Ah, e não exite em falar com sua família, viu? Ela pode ajudar. 


Brooklin e a coragem de tentar algo novo

Saoirse Ronan é Eilis, uma irlandesa que abandona sua vida estável com a mãe e a irmã para tentar seguir seu sonho nos Estados Unidos. No começo ela sofre com a saudade, mas logo conhece um cara que mexe com seu coração. Quando está se acostumando à vida no Brooklyn, uma tragédia acontece e ele precisa retornar à Irlanda. Se tem uma coisa que o filme ensina é que sair da sua zona de conforto pode ser muito bom. Eilis tem medo do mundo novo, é claro, mas ela toma coragem e vai atrás de uma vida melhor. Bateu a vontade de fazer intercâmbio, de mudar de escola ou de fazer um curso novo? Vai nessa, garota! 


Mad Max: Estrada da Fúria e a força do feminismo

Max (Tom Hardy) é um ~guerreiro das estradas~ que decide fugir para não precisar depender de ninguém. No meio do caminho no deserto australiano, ele conhece Furiosa (Charlize Theron) e seu grupo de garotas rebeldes que pretendem enfrentar o vilão Joe e fugir de Wasteland. O que muita gente não esperava quando foi ver o filme sobre corridas de carros é que ele seria tão girlpower. Sabe aquela história de que mulher é fraca, não sabe dirigir ou não tem determinação para comandar um exército? Ela vai por água abaixo neste filme.

Quais desses foi o seu preferido? E quais você acha que levam o Oscar?

 
Continua após a publicidade
Publicidade