Odontologia: Estagiar deixa Ingrid mais segura na faculdade

CAPRICHO estreia hoje especial Vida de Estagiário, que vai te ajudar a escolher sua profissão!

Por Da Redação Atualizado em 19 jan 2021, 14h26 - Publicado em 24 set 2016, 11h30

Por Gabriel Justo

O dentista chama seu nome e você entra naquele consultório milimetricamente organizado. Lá, é recebido por uma segunda pessoa, que te deita na cadeira, coloca o babador e fica ali dando uma força no que precisar. No fim da consulta, ela confere seu prontuário e já define o dia da sua próxima visita. Talvez você nunca nem tenha parado para pensar mas, no final do dia, essa “segunda pessoa” ainda vai sair correndo direto para a faculdade!

'Estagiar me deixa mais segura na faculdade', diz estudante de odontologia

Quanta coisa, né? Mas assim é a vida da Ingrid Yovanovic, 21, estudante do terceiro ano de Odontologia na Uninove e estagiária de um hospital odontológico em São Paulo. Desde que iniciou essa jornada dupla, há seis meses, seu tempo para fazer “coisas de gente normal, como sair com os amigos ou namorar” diminuiu. Mas, segundo ela, o esforço tem compensando bastante. “É corrido, cansativo, mas isso acaba me ajudando na faculdade. Fico mais segura nos laboratórios por já ter vivenciado várias situações na prática“, diz Ingrid, que acompanha cerca de 20 atendimentos por dia, que envolvem desde simples avaliações até grandes cirurgias. “É muito bom ver de pertinho o passo a passo de cada procedimento”.

Segurança, aliás, não era o forte da Ingrid no começo do estágio. É que ela ficava toda perdida na hora de organizar os instrumentos do dentista ou, por exemplo, na hora de pegar algum material no almoxarifado. “Alguns nomes técnicos são muito complicados. Aí eu não sabia o que era o quê, como e quando aquilo era usado. Era um pouco difícil me achar no meio de tanta coisa“, conta a estudante, que logo pegou prática e, hoje, não se dedica apenas às atividades técnicas. “Muitas vezes, eu até seguro a mão de quem fica com medo. Dar conforto ao paciente também é uma função importante do estagiário”, alerta.

View this post on Instagram

A post shared by Ingrid Yovanovic (@ingridyovanovic)

 

Além da experiência profissional, estagiar tem outra vantagem: com o dinheiro que ganha, Ingrid consegue bancar os materiais da faculdade – a mensalidade é financiada pelo FIES. “60% do meu salário é gasto com materiais. Sabe cada uma daquelas coisinhas que você vê num consultório de dentista? Então, cada aluno tem que ter as suas“, explica a estudante, que considera ter contatos como algo essencial para conseguir o primeiro emprego. “Na odontologia, todo mundo se conhece. Então, é importante conhecer pessoas que te aconselhem, te indiquem cursos e até vagas também”, dá a dica, que vale para tudo na vida.

ODONTOLOGIA
– Perfeito pra quem… Gosta de anatomia, química, de ajudar as pessoas e não tem medo de sangue
– Duração do curso: de 4 a 5 anos
– Melhores cursos**: USP, Unicamp, Unesp, UFRGS e Faculdade de Odontologia de São Leopoldo Mandic (SLMANDIC)
– Quanto paga no estágio? De R$ 700 a R$ 1.000
– Quanto paga depois de formado? Muitas variáveis influenciam nesse valor, como por exemplo, se você trabalha para uma clínica ou tem o próprio consultório, a carga horária e a sua experiência. Por isso, os valores vão de R$3 a R$12 mil.
*Fuvest/2016 **Segundo o MEC

Continua após a publicidade

Publicidade