Verão e roupa curta combinam. Assédio, não!

Parece algo totalmente óbvio, mas não é. Caras ainda gritam para garotas nas ruas e algumas mulheres ainda defendem a cultura machista de que 'ela estava pedindo'.

Por Isabella Otto Atualizado em 17 ago 2016, 18h14 - Publicado em 2 jan 2016, 11h00

A mulher foi um dos assuntos mais discutidos em 2015.Em um campo muito amplo, é verdade,mas que, muitas vezes, estava diretamente relacionado à questão do feminicído . Tanto é que esse assunto importantíssimo virou até tema de redação no ENEM . Mas vamos falar, em especial, sobre assédio. Se você acompanhou a repercussão da hashtag #meuprimeiroassédio na redes sociais ( ou no site CAPRICHO ), lançada pelo coletivo feminista Think Olga , certamente ficou horrorizada com as revelações. E não é para menos! Principalmente, se levarmos em conta que a idade média dos primeiros assédios relatados por mulheres foi a de 9 anos, sendo que muitos desses casos aconteceram dentro de casa. Vale lembrar que assédio não envolve necessariamente violência física . Sabia que aquelas cantadas e comentários extremamente irritantes que você recebe por aí podem ser entendidos como importunação ofensiva ao pudor? O mesmo vale para relacionamentos abusivos . Agressões mentais e psicológicas também são formas de assédio!

Com o Verão no auge – e o clima abafado reinando no Brasil -, nós, meninas, tendemos a usar roupas mais curtas. Afinal, não tem nada mais confortável do que usar um vestidinho, uma sainha e/ou um short bem fresquinho no calor ! Além disso, as noites de Verão são mais convidativas. Você fica mais animada para sair, tomar um sorvete, ir a festas… Agora, seja sincera: quantos comentários horrorosos você já leu na internet dizendo que a mulher “estava pedindo para ser assediada” por causa do tamanho da roupa? Ou, até mesmo, já escutou dos pais que não adianta sair de casa com “essa roupa” e depois reclamar que mexeram com você na rua? Incontáveis vezes, certo? Acredite se quiser, até alguma autoridades perguntam à vítima que tipo de roupa ela estava usando quando foi assediada. Não, não, não! Tem algo MUITO errado aí .

Por que meninas deveriam deixar de vestir o que querem por medo? Por que meninas têm que tomar cuidado ao caminharem sozinhas por alguns espaços públicos? Por que meninas precisam evitar andar à noite pelas ruas ou evitar usar roupas mais fresquinhas no transporte público? A culpa não é da mulher e não é justo que ela tenha sua liberdade restringida por causa da falta de controle de alguns homens sobre si mesmos – ou porque a sociedade ainda as julga por suas roupas, consequência do machismo intrínseco que ainda sofremos. Amiga, o seu corpo é exclusivamente seu e a roupa que você escolher usar não pode diminuir esse direito. Amigo, o mesmo recado serve para você, com uma simples mudança: o corpo é exclusivamente DELA e uma saia curta não te dá NENHUMA liberdade .

Historicamente, mulheres já conquistaram muitas coisas – e o ano de 2015 foi incrível e deve ser comemorado! Hoje, podemos votar e ocupamos grandes cargos em empresas – mas ainda há muito pelo que lutar. E, infelizmente, as mudanças não vão ocorrer de um dia para o outro. Mas a chave é não desistir! Assediadores existem e, algumas vezes, estão mais perto do que se pode imaginar. Sendo assim, é claro, que você, menina, precisa tomar cuidado. Mas isso não envolve ser seletiva com as próprias roupas . Nós preciamos ficar atentas (ainda), mas eles precisam aprender (do zero, muitas vezes).

Até que se chegue ao ponto em que a população tenha total consciência dos direitos femininos e que o assédio seja plenamente punido e não tente ser meramente justificado, infelizmente ainda há uma preocupação e, para evitá-la, você pode, por exemplo, tentar andar acompanhada de amigos, parentes ou, se rolar, de outras garotas que possam estar na mesma situação que você, como incentiva o movimento Vamos Juntas? . E o mais importante é lembrar, relembrar e colar na porta da geladeira: assédio é ilegal. É crime! Não deixe de denunciar o agressor e se manter firme no processo, que pode ser absurdamente demorado e desgastante – uma realidade que também precisa mudar.

Então, é isso. O Verão chegou e, com ele, as roupas curtas, que você tem todo o direito de usá-las. Porque elas combinam com a estação mais quente do ano; o assédio, qualquer que seja ele, não. Ele não combina nem com o Verão, nem com o Inverno, nem com o Outono, nem com a Primavera…

Continua após a publicidade
Publicidade