Relaxa. Se arrepender da faculdade escolhida não é o fim do mundo!

Conversamos com quatro garotas que já passaram por isso e contam como enfrentaram o "problema".

Por Isabella Otto Atualizado em 17 ago 2016, 14h12 - Publicado em 22 jul 2014, 18h10

Se tem um medo que assombra os estudantes que estão perto de prestar vestibular é o de se arrepender do curso escolhido. Na teoria, pode até parecer fácil. Afinal, você só precisa escolher uma graduação que faça parte daquela área que você tem mais afinidade, seja ela humanas, exatas ou biológicas. Mas o problema é que as opções são inúmeras! E, é claro, a pressão também.

Quando chega o meio do ano, aqueles estudantes indecisos que estão no último ano do colégio começam a surtar, literalmente. Os prazos para se inscrever nos vestibulares começam a ficar apertados e eles não querem correr o risco de fracassar no meio do caminho. Se você faz parte desse grupo… Ei! Respira.

Antes de qualquer coisa, lembre-se de que fracasso é uma palavra muito forte! Errar é humano e, nessa idade, você não tem mesmo nenhuma obrigação de saber com certeza absoluta o que quer fazer pelo resto da vida.

Conversamos com algumas garotas que desistiram da faculdade e toparam dividir essa experiência com a gente. Elas contam como perceberam que o curso escolhido não era o certo, de que maneira abordaram os pais e como escolheram a nova graduação.

Um dos motivos que leva uma pessoa a desistir do curso é a decepção com o mercado de trabalho . Ou seja, você descobre que errou durante o estágio. Foi o que aconteceu com a Angélica e com a Mariana.

Infelizmente, a área de Publicidade e Propaganda é bastante concorrida e falta oportunidade para aqueles que têm uma bagagem menor, como experiências fora do país. Sem contar que o salário inicial que eu recebia era bem baixo. Isso me desanimou e eu acabei desistindo do curso no segundo ano.

Angélica Cris, 21 anos, largou a faculdade de Publicidade e Propaganda para fazer Comércio Exterior

Desisti de duas faculdades. Primeiro, eu tentei fazer Engenharia Física e, depois, Administração. Foi na época do segundo curso que consegui um trabalho em um escritório. Gostava mais ou menos da rotina, então pensei que a faculdade me ajudaria a subir rapidamente de cargo. E, se nada desse certo, pelo menos eu teria meu diploma. Mas depois de um tempo senti que aquela rotina de trabalho não estava me fazendo feliz. Saí.

Mariana Teixeira, 20 anos, largou duas faculdades e, atualmente, faz curso de Vestuário no SENAI

Outro motivo é a grade curricular do curso, que pode não ser tão legal quanto você imaginava. Muitas vezes, essa decepção vem logo no primeiro ano, quando as matérias são mais genéricas e teóricas. Pesquisar a grade dos anos seguintes, antes de desistir de vez, pode se uma boa!

Fiquei em dúvida quando começaram a surgir matérias práticas e o pessoal começou a estagiar. Além de eu odiar mexer com processos, petições e etc., eu ficava irritada ao ver todo mundo vestindo roupa social todo o santo dia. Notei que aquilo não tinha nada a ver comigo.

Bruna Allegretti, 22 anos, largou a faculdade de Direito para fazer Jornalismo

Me dei conta que todo mundo estava se divertindo na aula de desenho e eu não estava curtindo nem um pouco. Na verdade, estava odiando! Nem sabia como desenhar.

Marina Madureira, 21 anos, largou a Faculdade de Design para fazer Publicidade e Propaganda

No terceiro ano da escola, acabei escolhendo prestar engenharia muito mais pela credibilidade do curso e do salário do que por amor à profissão. Eu me dava bem em exatas e achei que ero o que queria. Mas durante a faculdade, percebi que as matérias eram bem diferentes do que imaginava. Pensei que ia descobrir curiosidades e coisas mais científicas, quando, na verdade, só aprendia a resolver contas, contas e mais contas.

Mariana Teixeira, 20 anos, largou duas faculdades e, atualmente, faz curso de Vestuário no SENAI

Depois de concluir que o curso não estava superando as expectativas, vem o segundo baque: contar que quer desistir para os pais. Nem sempre é fácil! Mas, acredite, com jeitinho, eles entenderão.

Continua após a publicidade

Fiquei com medo, pois minha mãe é médica e meu pai queria que eu fizesse medicina. Então, fazer Direito já foi complicado. Quando percebi que não queria mais e comecei a cogitar fazer Jornalismo, fiquei me perguntando como explicaria isso em casa. Graças a Deus, minha mãe me deu total apoio e as coisas acabaram sendo mais fáceis.

Bruna Allegretti, 22 anos, largou a faculdade de Direito para fazer Jornalismo

Não sabia como avisar meus pais que queria parar com a faculdade! As aulas começaram no início do ano e em março eu já queria sair. Então, achei melhor abrir o jogo para o meu pai. Foi aí que ele veio com uma luz e me aconselhou a terminar, pelo menos, o semestre. Porque, dessa maneira, eu não perderia o ano e ainda conseguiria, quem sabe, anular algumas matérias da faculdade seguinte. Ou seja, eu pensei que ele fosse ficar bravo, mas ele me entendeu. A gente é muito imaturo quando sai da escola. Não é fácil!

Marina Madureira, 21 anos, largou a Faculdade de Design para fazer Publicidade e Propaganda

Vale a pena destacar que você não precisa escolher a segunda opção de faculdade assim tão rapidamente! Você pode escolher fazer um curso, entrar no cursinho, que pode te ajudar bastante a encontrar uma nova saída, ou até, se a sua família tiver condições, fazer um intercâmbio.

Pensei que havia perdido dois anos da minha vida desistindo dos cursos. Mas, não! Atualmente, faço curso técnico em vestuário no SENAI, porque a minha cidade só tem quatro universidades e nenhuma oferece curso de Moda. Como minha mãe ainda não me deixa estudar em outro estado, decidi começar fazendo o curso, que é uma coisa que pode me ajudar no futuro.

Mariana Teixeira, 20 anos, largou duas faculdades e, atualmente, faz curso de Vestuário no SENAI

Trancar a faculdade pode ser uma boa. Assim, você consegue se dar um tempo para pensar melhor na vida, sem ficar gastando com a mensalidade e, é claro, ainda deixa uma opção no banco de reservas.

Angélica Cris, 21 anos, largou a faculdade de Publicidade e Propaganda para fazer Comércio Exterior

Viu, só? Você não será a única que se arrependerá do curso escolhido caso isso aconteça no futuro. Lembre-se que conversar com os pais sobre os seus sentimentos é sempre a melhor opção, pois eles, por terem mais experiência, podem te acalmar e dar alguma ideia legal. E, antes de tudo, seja tão sincera com você mesma quanto essas meninas foram. Veja outras dicas legais que elas têm para dar:

Leve em conta a sua vontade e a de mais ninguém. Não adianta escolher o que os seus pais querem ou escolher a profissão com os salários mais altos, porque, na prática, você não vai conseguir levar até o fim. E, se conseguir, exercer por anos e anos uma profissão que não te dá vontade de sair da cama de manhã pode te dar muita dor de cabeça no futuro. É melhor encarar a realidade enquanto é tempo do que correr o risco de ser frustrada quando já é tarde demais.

Bruna Allegretti, 22 anos, largou a faculdade de Direito para fazer Jornalismo

Dinheiro, sucesso e felicidade são consequências que vem quando você trabalha com prazer.

Mariana Teixeira, 20 anos, largou duas faculdades e, atualmente, faz curso de Vestuário no SENAI

Antes de escolher o novo curso, procure conversar com pessoas que podem te ajudar e leia muito sobre a possível nova área. No meu caso, minha segunda opção era Publicidade e Propaganda, então fui tirar algumas dúvidas com pessoas que já estavam cursando essa faculdade. Me ajudou muito!

Angélica Cris, 21 anos, largou a faculdade de Publicidade e Propaganda para fazer Comércio Exterior

O lance é ter muita fé, acreditar em seu potencial, analisar bem o próximo curso e se entregar 100% às novas escolhas!

Marina Madureira, 21 anos, largou a Faculdade de Design para fazer Publicidade e Propaganda

Continua após a publicidade
Publicidade