Rebeca Andrade brilha na ginástica e conquista prata pro Brasil em Tóquio

Atleta é a primeira brasileira a subir no pódio da ginástica feminina na história das Olimpíadas

Por Isabella Otto Atualizado em 29 jul 2021, 12h22 - Publicado em 29 jul 2021, 11h23
de um lado, o hidratante, o perfume e a máscara facial hello stars, dispostos lado a lado. De outro, as frases: Cada estrela é única, como você. Conheça a nova linha Hello Stars. Todos os elementos estão em um fundo azul escuro com estrelas que brilham
CAPRICHO/Divulgação

Depois de encantar os jurados e o público ao som de Baile de Favela, do MC João, a ginasta Rebeca Andrade conquistou a medalha de prata nos Jogos Olímpicos de Tóquio na manhã desta quinta-feira, 29. O ouro ficou com a americana Sunisa Lee e o bronze com a russa Angelina Melinkova.

Sunisa Lee (ouro), Rebeca Andrade (prata) e Angelina Melnikova (bronze) no pódio olímpico
Sunisa Lee (ouro), Rebeca Andrade (prata) e Angelina Melnikova (bronze) no pódio olímpico Jamie Squire/Getty Images

Com o feito, a atleta de 22 anos, de Guarulhos, se tornou a primeira brasileira a subir no pódio na história da ginástica feminina nas Olimpíadas. E tem mais chances de medalha, viu? No próximo domingo, ela disputará medalha no salto e, na segunda, no solo.

+ Olimpíadas: “Se você pode sonhar, pode realizar”, diz skatista Rayssa Leal

Vale lembrar que Rebeca passou por três cirurgias no joelho em 2015 e 2019. “Essa medalha não é só minha, é de todo mundo. Todos sabem da minha trajetória, o que eu passei. Se eu não tivesse cada pessoa dessa na minha vida, isso aqui não teria acontecido. Tenho certeza disso. Sou muito grata a todo mundo mesmo. Acho que mesmo se eu não tivesse ganhado a medalha, eu teria feito história, justamente pelo meu processo para chegar até aqui“, disse a ginasta à Globo após a conquista, que veio graças a uma revisão pedida pela comissão técnica ao VAR.

  •  

    A brasileira tinha tirado a nota 13,566 na trave, mas a equipe achou os pontos injustos e entrou com recurso, pedindo a revisão da nota levando em conta o quesito dificuldade. O pedido foi acatado e os árbitros aumentaram para 13,666 a nota de Rebeca, que ficou 0,099 pontos a frente da terceira colocada. “Não desistam, acreditem no sonho de vocês e sigam firmes. Dificuldade sempre teremos, mas temos que ser fortes suficientes para passar por dia”, deu o recado a medalhista olímpica.

    Veja abaixo o desempenho na Rebeca Andrade no individual geral:

    Continua após a publicidade
    Publicidade