Projeto #EuEstou oferece conteúdo para auxiliar na prevenção ao suicídio

No Festival Amarelo, o cineasta M.M. Izidoro contou mais sobre a campanha que iniciou no Facebook em parceria com o YouTuber PC Siqueira

Por Amanda Oliveira Atualizado em 11 set 2019, 19h38 - Publicado em 11 set 2019, 11h00

Felizmente, cada vez mais comunidades de apoio à saúde mental e campanhas de prevenção ao suicídio são criadas no Brasil. Uma dessas iniciativas é o projeto #EuEstou, fruto de uma parceria entre o cineasta M.M. Izidoro, o YouTuber PC Siqueira, o Instituto Vita Alere e o Facebook, que foi tema de um painel no Festival Amarelo, promovido pelo Instagram Brasil em parceria com a CAPRICHO.

M. M. Izidoro. Marco Torelli/Divulgação

Criado em 2018, o projeto é uma plataforma de promoção de saúde mental focada em prevenção do suicídio e funciona nas redes sociais Facebook e Instagram. “Ele existe por uma necessidade minha. No ano passado, eu tive uma crise de ansiedade muito forte. Numa noite que eu estava sozinho em casa, eu tive pensamentos suicidas. Achei que não ia acordar e ver o dia seguinte“, lembra M.M. Izidoro.

O projeto nasceu a partir de uma conversa sincera e real entre o cineasta e o YouTuber PC Siqueira. “A gente começou a conversar, a gente começou a se abrir e coisas que homens de 30 anos no bar não fazem, que é falar de sentimentos, falar como a gente estava. E a gente percebeu que a gente não estava num lugar legal e tinha que sair daquela situação“, conta.

A ideia cresceu e o projeto ganhou o apoio do Facebook e do Instituto Vita Alere, fazendo com que muitos conteúdos diferentes sobre saúde mental e prevenção ao suicídio já tenham sido criados e compartilhados na rede mundial. “Então hoje, quando bate aquela badzinha que foi uma das sementes da minha crise de ansiedade lá atrás, e eu falo: ‘Será que eu estou no lugar certo?’, ‘será que eu estou fazendo a coisa certa?’, ‘será que eu estou fazendo o que eu deveria fazer?’, eu lembro dessa história (…) Isso me leva a lembrar de conexões“, diz.

Conexões é a palavra-chave, aliás. Por que, afinal, como podemos contribuir para a construção de comunidades de apoio por conta própria? É simples: todos nós também precisamos ser uma comunidade de apoio. “A gente tem que ser melhor, a gente tem que evoluir. E a internet, assim como a vida, é o que a gente faz dela (…) É uma escolha nossa fazer um comentário racista na foto de alguém, é uma escolha nossa dar um share em um conteúdo que vai oprimir uma outra pessoa e é uma escolha nossa fazer um bullying de alguém na escola”, afirma M. M. Izidoro.

Se eu posso dar uma dica para alguém que está mal é: converse. Peça ajuda. Não é fácil, mas tenta uma vez. Tenta duas, tenta três“, diz. O projeto #EuEstou traz conteúdos informativos, mas também oferece ajuda para quem precisa através do e-mail meajuda@euestou.com. Para quem quer ajudar um amigo ou uma amiga que está passando por problemas, você pode obter informações e orientações através do queroajudar@euestou.com.

Uma experiência única sobre promoção de saúde mental, o Festival Amarelo aconteceu no dia 8 de setembro. Se você precisa de apoio emocional, entre em contato com o serviço gratuito de prevenção do suicídio CVV, o Centro de Valorização da Vida, através do telefone 188 ou do site www.cvv.org.br.

Continua após a publicidade

Publicidade