Poema de Halsey sobre assédio comove mulheres na Women’s March

Na última edição da Women's March em Nova York, cantora desabafou sobre experiências traumáticas e mandou recado para Donald Trump.

Por Isabella Otto - Atualizado em 23 jan 2018, 12h40 - Publicado em 23 jan 2018, 12h39
Promoção CAPRICHO Volta às Aulas 2018
Divulgação/CAPRICHO

No último domingo, 21, aconteceu pelo mundo a Marcha das Mulheres 2018. Foi na edição de Nova York que a cantora Halsey, de 23 anos, fez um discurso que comoveu a todas. A americana escreveu um poema sobre como o assédio sexual esteve presente em sua vida, em diferentes fases, desde 2002, quando tinha 8 anos.

Reprodução/Reprodução

O poema foi dividido em cinco partes e, na primeira, Halsey fala sobre como conheceu o assédio, através de uma amiga: “é 2009, eu tenho 14 e estou estou chorando. Não tenho certeza de quem sou, mas estou segurando a mão da minha amiga Sam na sala de espera do consultório da Planned Parenthood (instituição de controle de natalidade que opera nos Estados Unidos desde 1916)”.

Na estrofe seguinte, a cantora se lembra de um caso que aconteceu quando tinha 8 anos : “é 2002 e a minha família acabou de se mudar. As únicas pessoas que eu conheço é a Sue, a amiga da minha mãe, e seu filho“. Nessa parte, Halsey dá claras evidências de que o filho da amiga da mãe a assediou. Aos 17, ela começou a namorar: “é 2012 e eu estou namorando um cara(…) Ele continua querendo sexo, e eu só quero dormir(…) Ele diz que eu não posso dizer não(…) Ele paga meus jantares”.

Depois, a americana conta uma história que aconteceu no último ano, quando tinha 22 anos de idade: “é 2017 e eu vivo como uma rainha(…) Eu sou invencível(…) Até que um homem em que eu confiava coloca as mãos na minha calça.” Nessa parte, Halsey, provavelmente, quis lembrar as mulheres de que a luta está surtindo efeitos, mas ainda é longa. Desde 2016, manifestações femininas estão acontecendo pelo mundo e dando mais segurança às mulheres, mas os casos de assédio e feminicídio continuam assombrando cada uma de nós.

Continua após a publicidade

Halsey encerra o poema em 2018, na Marcha das Mulheres em NY. “Este ano é 2018 e eu percebi que nenhuma mulher viva está à salvo(…) E cada amiga que eu conheço tem uma história como a minha(…) E me lembra de que isso é apenas o começo”, garantiu a jovem, que deixou claro que não vai abaixar a cabeça para o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que tem projetos machistas de governo.

Confira abaixo o discurso completo da cantora em sua segunda Women’s March:

https://www.youtube.com/watch?v=s5xPxjVaYI4

No Instagram, Halsey se pronunciou sobre o discurso: “eu não tinha ideia que seria tão emocionante para mim falar sobre a minha verdade, mas foi. E eu estou tão feliz por ter conseguido! O apoio que tenho recebido desde então é reconfortante”, escreveu na rede social. É sororidade que chama, né?

Continua após a publicidade

Foi de arrepiar o discurso da pequena grande Halsey, não?

Publicidade