Peng Shuai: tenista chinesa some após denunciar político por abuso sexual

A atleta desapareceu misteriosamente pouquíssimo tempo depois de acusar Zhang Gaoli, do Partido Comunista da China, de assédio

Por Isabella Otto Atualizado em 17 nov 2021, 12h47 - Publicado em 17 nov 2021, 12h41

Onde está Peng Shuai? É exatamente isso que perguntam familiares, amigos e colegas de profissão da tenista, de 35 anos, nas redes sociais. A chinesa sumiu misteriosamente após denunciar o ex-vice-premiê Zhang Gaoli, de 75 anos, um figurão do Partido Comunista da China, de tê-la violentado sexualmente. Peng falou pela primeira vez sobre o assunto no Weibo, uma espécie de Twitter permitido no país, e sua publicação foi apagada logo depois. Além disso, não há mais nenhuma menção sobre o assunto na rede social, pois as palavras-chaves envolvendo o caso foram bloqueadas.

À esquerda, foto da tenista Peng Shuai. Ela veste um blusa regata lilás e segura a raquete enquanto sorri pra câmera. À direita, uma foto do político, Zhang Gaoli. Ele veste um terno preto, usa óculos de grau e olha para o lado com cara de desdém.
A tenista Peng Shuai e o político Zhang Gaoli, acusado de abuso sexual Mark Kolbe e Feng Li/Getty Images

Na postagem, a tenista dizia estar muito assustada e que a esposa de Zhang sabia que ele forçava sexo com a atleta. Desde então, Peng Shuai não foi mais vista. “Fui informada de que uma jogadora de tênis desapareceu depois de revelar que era abusada sexualmente. Espero que ela e sua família estejam bem e em segurança. Estou em choque com o que está acontecendo e envio amor e luz para ela”, escreveu a tenista japonesa Naomi Osaka, uma das estrelas mundiais do esporte.

Continua após a publicidade

Ninguém sabe do paradeiro da chinesa, nem família, nem amigos, nem atletas. Por isso, Steve Simon, presidente da Women’s Tennis Association, pediu que uma investigação completa sobre o caso seja realizada. Andrea Gaudenzi, presidente da Associação de Tenistas Profissionais, reiterou o pedido e demonstrou preocupação com a segurança da atleta, já que o Partido Comunista detém há 70 anos o poder no país, sendo que algumas das principais redes sociais do mundo são proibidas na China continental, como Facebook, Twitter, Clubhouse, WhatsApp e o próprio Google, censuradas pelo que ficou conhecido como o “Grande Firewall”. O cenário assusta, especialmente porque compactua com a ideia de que crimes podem ser silenciados ou ficar impunes quando envolvem pessoas influentes, que têm o poder de calar as vítimas. Nem o governo nem Zhang Gaoli se pronunciaram sobre o caso.

Continua após a publicidade

#WhereIsPengShuai?

Continua após a publicidade

Publicidade