Para Damares Alves, feminismo é sobre mulheres feias que odeiam os homens

Entenda porque o comentário feito pela ministra dos Direitos Humanos é uma baita fake new!

Por Isabella Otto Atualizado em 15 jan 2019, 12h44 - Publicado em 15 jan 2019, 12h32
promoção volta às aulas capricho 2019
Gif/CAPRICHO

Um vídeo que mostra a ministra Damares Alves se pronunciando sobre as feministas está circulando na internet desde o último dia 13, quando foi exibido em uma reportagem do Fantástico, programa da Rede Globo. No trecho em questão, a ministra dos Direitos Humanos, que é também pastora, aparece fazendo um comentário bastante tendencioso e equivocado sobre as feministas durante uma pregação. “Sabe por que elas [as feministas] não gostam de homens? Porque são feias e nós somos lindas”, disse, provocando a histeria da plateia.

Reprodução/Reprodução

O erro de Damares é bastante comum. Apesar de não faltar matérias e fontes de informação que expliquem o que é o feminismo – e desmistifiquem que ele é o contrário do machismo -, muita gente se apega a lugares comuns, por falta de conhecimento, preguiça ou até mesmo como forma de manobra social. Afinal, se o seu público quer ouvir que o feminismo é sobre ser feia e não gostar de homens, por que não dar isso a ele?!

Vamos aproveitar a deixa dada pela ministra em exercício para, novamente, esclarecer algumas questões básicas sobre o movimento feminista:

1. Feminismo não é o contrário de machismo
Esse “exagerado senso de orgulho masculino” é caracterizado pela agressividade. O machismo mata mulheres no mundo inteiro e é responsável por algumas das mais ultrapassadas regras patriarcais da sociedade, como a mulher ainda ganhar menos no ambiente de trabalho, mesmo exercendo a mesmo função do homem, porque, afinal, mulher deve cuidar dos filhos e da casa. Inclusive, Damares Alves já disse algo que tem muito a ver com essa discussão: “me preocupo com a ausência da mulher de casa. Hoje, a mulher tem estado muito fora de casa. Costumo brincar como eu gostaria de estar em casa toda a tarde, numa rede, e meu marido ralando muito para me sustentar e me encher de joias e presentes”. Justamente por não ser o contrário do machismo, o feminismo não mata e não prega o ódio aos homens. Consequentemente, feministas podem, sim, gostar de homens e até mesmo se casar com eles em uma cerimônia beeem romântica. É bem provável que uma mulher que não goste de homens seja homossexual, não feminista. Deu pra entender, Vossa Excelência?

  • 2. O movimento prega a liberdade das mulheres
    Tá, é basicamente isso, mas falando bem por alto. O feminismo, ao pé da letra, é um movimento liderado por mulheres que prega a igualdade de direito entre gêneros na sociedade, que é ainda majoritariamente patriarcal (ou seja, com uma maioria masculina no comando). Há muitas vertentes dentro do feminismo, e algumas são realmente mais radicais, mas a luta é por igualdade, não por supremacia. Não existe uma data exata que marque o começo do movimento feminista no mundo. As tais bruxas da Idade Média, que nada mais eram que mulheres independentes que tinham amplos conhecimentos a respeito de ervas medicinais, por exemplo, eram chamadas de feiticeiras, caçadas e queimadas em fogueiras justamente por terem se distanciado dos padrões impostos pelo patriarcado. E isso assustava. No Brasil, pode-se dizer que o feminismo teve início na década de 60, com a luta das mulheres pelo direito ao voto. Da mesma maneira, essas mulheres, inspiradas pelas sufragistas inglesas, assustavam.

    3. Feminismo não tem nada a ver com excesso ou falta de beleza
    Muito pelo contrário! As feministas lutam diariamente contra os padrões de beleza impostos pela sociedade. É natural que mulheres assustadas e desconfiadas usem esses pontos comuns explorados por Damares Alves para desvalidar o movimento, mas isso é até elas perceberem que o feminismo não impõe barreiras. Dá pra ser feminista e usar batom vermelho, dá pra ser feminista e ainda assim seguir alguma vertente religiosa, dá para ser feminista e querer ser dona de casa, dá pra ser feminista e querer seguir uma carreira de sucesso em alguma empresa. Dá pra ser tudo – só não dá pra ser esse tipo de pessoa que, em pleno 2019, compartilha fake news para desvalidar um movimento legítimo que já salvou tantas mulheres, das mais diferentes formas.

    Todas nós somos lindas, Damares. Vamos trabalhar essa sororidade <3

    Continua após a publicidade
    Publicidade