Nath Finanças diz quais conselhos financeiros daria para seu eu de 15 anos

Ela também fala sobre a importância da educação financeira nas escolas: "Finanças não é pra ser algo técnica. É uma coisa real, que precisa ser palpável"

Por Gabriela Junqueira - Atualizado em 24 jun 2020, 20h22 - Publicado em 13 jun 2020, 10h10
perfume ch o boticario fragrancia capricho mood
CAPRICHO/Divulgação

“Você que é pobre, baixa renda e quer aprender sobre educação financeira sem frustrações, vem comigo”, convida Nathália Rodrigues no Youtube. A jovem, de 21, de Nova Iguaçu, estudante de Administração de Empresas, criou seu canal no começo do ano passado, depois de perceber que gostaria de ajudar pessoas a se organizarem financeiramente. Sim, estamos falando da Nath Finanças!

Depois de pouco mais de um ano, o canal de Nath já tem mais de 100 mil inscritos Divulgação/Divulgação

Nath contou para a CAPRICHO que teve seu primeiro emprego aos 15 anos, mas, como não na época não sabia nada de educação financeira, gastou seu primeiro salário realizando algumas vontades, como comprar um pote de sorvete só para ela e um combo em um fast food, além de pagar a taxa bancária do cartão. Na época do ensino médio, quando fazia técnico de Administração, começou a anotar seus gastos, mas marcava apenas as despesas fixas, não anotava os gastos variáveis, como aquele amendoim que comprava no trem ou o lanche que saía pra comer no final de semana. Foi só na faculdade que ela começou a ter mais contato com o assunto. “Já estava no terceiro emprego quando comecei a anotar meus gastos e ter um consumo mais consciente, há uns dois ou três anos”, explica. Com o tempo, o interesse pelo tema cresceu e a ideia de criar o canal surgiu!

“Meu professor de matemática foi quem me motivou, porque ele explicava de uma forma tão fácil, tão tranquila e tão didática, que pensei: ‘Isso tem que ser passado para mais pessoas, isso tem que ser disseminado'”, lembra. Ao comentar sobre como esses assuntos costumam ser tratados nas redes sociais, Nath conta que, quando começou a pesquisar, só encontrava pessoas falando sobre algo que não é a realidade, como guardar R$ 1 mil e fazer uma renda extra, por exemplo. “Eu simplesmente tinha que trabalhar, ajudar a pagar as contas, viver para pagar boletos. Não tinha como fazer renda extra. A gente fica frustrada quando não se identifica. Pensei: ‘Vou fazer meu canal, aí as pessoas vão se identificar’. E fico muito feliz que isso esteja acontecendo”, completa. Hoje o canal de Nath já tem mais de 100 mil inscritos e muitos fãs agradecem os seus conselhos nas redes sociais.

A YouTuber explica que, diferentemente do que alguns educadores financeiros fazem, ela não orienta as pessoas a separarem uma determinada porcentagem de suas rendas, porque não é uma quantia que todo mundo pode se dar a luxo. Para quem deseja começar a poupar, Nath sugere pagar primeiro os boletos necessários, o que não inclui gastos com roupas e sapatos. Depois, ver quanto gastou e reserva esse valor, mesmo que seja apenas R$ 10. “Se você tiver o controle financeiro, se anotar suas despesas, você tem noção dos seus gastos, sabe se você está gastando a mais ou a menos, se tem como diminuir, etc. Aí você separa uma grana pra fazer reserva”, comenta ao ressaltar a importância do controle.

Hoje, para se organizar, Nath é adepta principalmente de aplicativos de controle financeiro e da famigerada planilha. Ela conta que usa os dois métodos porque também tem a despesa do canal, então separa da pessoal. Uma boa ideia para quem tem emprego fixo e trabalha como freelancer, por exemplo. Os Apps que ela mais usa são o Mobills e o Fortuno, ambos gratuitos.

Atualmente, é nesse cenário que a youtuber grava seus vídeos Arquivo Pessoal/Reprodução

A primeira coisa que a administradora diria para seu eu de 15 anos seria: “Não gaste sem pensar no amanhã, pois no mês seguinte pode rolar uma emergência, nem parcele em mais vezes que o necessário. Além do mais, quem é da periferia sempre ajuda a família”. Na sequência, ela falaria para sua versão adolescente anotar todos os gastos e explicaria que, no futuro, não será necessário pagar taxa bancária. “Às vezes, nós não temos esse conhecimento, aceitamos o que o banco fala e pagamos algo que não precisamos por não termos acesso à informação”, explica. “Eu ensinaria para ela também outras  pequenas coisas que nós não tivemos na escola, como o que é um TED, e falaria que está tudo bem você ir comprar um pote de sorvete, porque você nunca comprou um só para você. Está tudo bem, mas separa um dinheiro para o seu futuro. Isso é muito importante, principalmente para os adolescentes que acham que só se vive uma vez. Tenta pensar como você quer se ver daqui cinco anos, qual é sua meta“, recomenda a youtuber.

Quando o assunto é guardar dinheiro para realizar um sonho, como fazer um curso ou uma viagem, Nath diz que é importante estabelecer metas alcançáveis. Por exemplo, se você sonha em fazer um intercâmbio, daqui quanto tempo quer ir? Qual será o destino? Quanto você pode guardar? “Coloque uma meta mensurável, que seja possível pensar e ficar motivada para guardar o dinheiro. Depois, anote seus gastos e abra mão de algumas coisas”, orienta.

Continua após a publicidade

Aliás, sobre abrir mão de certas coisas, a youtuber salienta que não se trata de deixar de pagar uma conta ou comer uma gostosura, mas, por exemplo, pensar se aquela saída para a qual você nem está tão animada vale a pena. “Se você tem intimidade, fala que está sem dinheiro e prefere poupar. É isso, sabe? Abrir mão quando você não está a fim, não quer ir ou não está com dinheiro. Não se endivide pelos amigos”, alerta.

Para quem também paga as contas de casa, Nath ressalta que é importante fazer economia doméstica. “Você está pagando a internet e ficou duas semanas sem ou ela oscilou. A Anatel tem uma lei que diz que, se você ficar mais de 30 minutos sem internet, você pode pedir desconto na fatura. Você ia gastar R$ 30, mas pagou R$ 20. Pega esse dinheiro e guarda. São essas pequenas economias que fazem a diferença no orçamento. Você não precisa cortar. Não é isso. É você colocar sua meta e começar a anotar os seus gastos para ter uma noção melhor das suas finanças“, explica.

Sobre a importância de ensinar educação financeira nas escolas, Nath comenta que o governo estava estudando a ideia, mas com aulas dadas por professores de matemática, sem um treinamento específico. “Não adianta você colocar educação financeira nas escolas e não colocar a realidade dessas crianças. Teria que colocar a realidade das finanças de uma família brasileira. É muito necessário, sim, mas é importante colocar professores treinados e qualificados para ensinar finanças pessoais no currículos para passar esse conhecimento para as crianças de uma forma fácil, prática, divertida e tranquila. Por que não usar um meme, por exemplo? A internet nos proporciona isso”, dá as dicas.

Inclusive, a própria Nath já virou meme, ao ser lembrada sempre que alguém a decepciona ou comete um deslize. “Nath Finanças, eu falhei com você”, dizem. E a administradora tem uma ótima história sobre isso: “Eu fui jantar com o Emicida uma vez e ele contou que a família dele e até as filhas falam: ‘Não vou gastar, não vou falhar com a Nath’. Isso é aprender de uma forma divertida. Finanças não é pra ser algo técnico. É uma coisa real, que precisa ser palpável”, finaliza.

Continua após a publicidade
Publicidade