Miss é assassinada por namorado que estava “aborrecido com mensagens”

Rafael Rodrigues confessou o crime à polícia e disse que leu mensagens no celular da vítima que o deixaram com ciúmes

Por Isabella Otto - Atualizado em 22 Maio 2020, 12h29 - Publicado em 19 Maio 2020, 10h49
perfume ch o boticario fragrancia capricho mood
CAPRICHO/Divulgação

O que você faz quando se aborrece com algo? Rafael Rodrigues, de 31 anos, pegou uma faca na cozinha, a maior delas, conforme relatou mais tarde para a Polícia Civil, escondeu-a nas costas, deitou-se com a namorada na cama e, no primeiro momento de descuido dela, a esfaqueou no pescoço e no abdômen. Kimberly Karen Mota de Oliveira, de 22 anos, era a atual Miss Manicoré, município do Amazonas, e foi encontrada morta na madrugada da última terça-feira (12/5), na região central de Manaus, no apartamento do até então namorado. O crime, segundo as autoridades, foi passional.

Rafael e Kimberly em foto postada nas redes sociais Instagram/@kimberly.mottta/Reprodução

Rafael ficou foragido por cinco dias e foi detido no último dia 15 na fronteira de Roraima com a Venezuela. Ele foi encaminhado para a Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros de Manaus, onde confessou o crime. Rafael disse à polícia que, enquanto Kimberly tomava banho, pegou o celular dela escondido e viu “mensagens que o aborreceram”. “Em momento algum ele nega, é réu confesso. Ele demonstra arrependimento. Sabe da gravidade do que ele fez. Se arrepende, falou isso abertamente para as autoridades policiais”, disse Johnny Brito, advogado do assassino, ao G1 AM.

 

Fazia cerca de dois meses que Kimberly e Rafael estavam juntos, após se conhecerem em uma balada. O criminoso era natural de São Paulo, se mudou para Manaus em 2017 e trabalhava no Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região – Amazonas e Roraima.

https://www.instagram.com/p/CAOSw1EAQeC/

A Polícia Civil ainda relatou que Rafael ligou para o pai, Nilton Rodrigues, após cometer o crime. Um dia após a prisão do filho, o senhor de 60 anos, que morava em São Paulo, cometeu suicídio. Neylla Pinheiro Mota, mãe da Miss assassinada, disse que perdoa o criminoso, mas que ele terá que se ver com a justiça divina: “A prisão do Rafael dá um certo alívio. (…) Da minha parte, está perdoado, mas agora que se acerte com Aquele lá de cima. Não guardo ódio nem rancor, mas ele tem que pagar“, afirmou também ao G1 AM.

A Região Norte do país é a que apresenta taxa mais alta de feminicídio, segundo Monitor da Violência de 2018, projeto realizado pelo portal G1, pelo Núcleo de Estudos da Violência da Universidade de São Paulo (USP) e pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Também de acordo com o levantamento, o Acre lidera o ranking. O estado de Roraima vem logo atrás. No Brasil, uma mulher é assassinada a cada duas horas.

Continua após a publicidade
Publicidade