Meryl Streep e outras mulheres roubam a cena no Globo de Ouro

Com discursos empoderadores, as atrizes mostram que o talento de sobra que têm vai muito além dos filmes e seriados. Maravilhosas!

Por Isabella Otto Atualizado em 9 jan 2017, 15h24 - Publicado em 9 jan 2017, 13h34

A cerimônia do Globo de Ouro 2017 aconteceu na noite do último domingo, 8, na Califórnia, Estados Unidos, e teve momentos maravilhosos! A rainha atriz Meryl Streep, vencedora do prêmio Cecil B. DeMille, pelo conjunto da obra, mais uma vez emocionou a todos com o seu discurso. Aos 67 anos, a talentosa norte-americana aproveitou o espaço de fala e o tempo que tinha para fazer um pronunciamento anti-Donald Trump, atual Presidente dos EUA.

Trump ficou conhecido por sua rígida posição contra estrangeiros em seu país. Meryl usou então o fato de os principais indicados da premiação serem estrangeiros, e não cidadãos americanos, para atacar o presidente e sua linha preconceituosa de raciocínio. “Hollywood está repleta de forasteiros e estrangeiros, e se você nos chutar para fora, não terá nada para assistir, exceto futebol e MMA(…) Houve uma performance este ano que me surpreendeu. Ela encravou seus ganchos no meu coração. Não porque foi boa. Não há nada de bom nela. Mas foi eficaz e cumpriu seu trabalho“, falou a atriz, referindo-se à campanha eleitoral de Trump.

Ainda no discurso, a norte-americana relembrou o episódio em que o Presidente zombou de um jornalista deficiente físico. “O desrespeito convida o desrespeito, a violência incita a violência. Quando os poderosos usam sua posição para intimidar os outros, todos nós perdemos(…) Nós precisamos da imprensa honesta para fazer oposição, chamá-los para o tapete para todas as indignações(…) Então, eu apenas peço à imprensa estrangeira de Hollywood e a todos da nossa comunidade que se juntem a mim para apoiar o comitê para proteger os jornalistas. Porque nós vamos precisar deles no futuro. E eles precisam de nós para garantir a verdade”, afirmou Meryl.

Na manhã desta segunda-feira, 9, no Twitter, Donald Trump criticou o discurso da atriz. “Meryl Streep, uma das atrizes mais superestimadas de Hollywood, não me conhece, mas me atacou ontem no Globo de Ouro. Ela é uma serva de Hillary”, escreveu o atual Presidente dos EUA, que não se cansa de pagar micão. Superestimada? Serva?

meryl

Outra veterana do Golden Globes que também fez um discurso bastante inspirador foi Viola Davis, que venceu a categoria Melhor Atriz Coadjuvante, pelo drama Fences. A norte-americana, que em 2015 transformou-se na primeira mulher negra a ganhar um Emmy, aproveitou para homenagear o pai, que aprendeu a ler aos 15 anos de idade. Emocionada, Viola deixou claro que é preciso coragem e força de vontade para vencer em outra competição, chamada vida. Que orgulho ele teria da sua filha, não é mesmo?

Continua após a publicidade

Tracee Ellis Ross, a Rainbow Johnson, do seriado Black-ish, vencedora da categoria Melhor Atriz de Seriados de Comédia, foi a definição de “mitar”. Aos 44 anos e pela primeira vez participando da premiação, com muito bom humor e carisma, ela dedicou a conquista a todas as pessoas negras que nem sempre são representadas e ouvidas, na vida e em Hollywood. “Eu quero que vocês saibam que eu vejo vocês. Nós vemos vocês. É uma honra estar nesse show”, emocionou-se a atriz, referindo-se a sitcom da ABC. 

Diretamente de The Crown, seriado da Netflix que conta a história da família real do Reino Unido, Claire Foy, vencedora da categoria Melhor Atriz de Série Dramática, encerrou o discurso homenageando a Rainha Elizabeth II, atualmente com 90 anos. “Eu realmente não estaria aqui se não fosse por uma mulher extraordinária e eu vou agradecê-la. Ela está no centro do mundo há 63 anos e eu acho que o mundo poderia ter mais mulheres no centro“, disse a atriz.

Rainhas são rainhas, né? Que orgulho!!!

queen

 

promo-volta-as-aulas2017

Continua após a publicidade
Publicidade