Marta recebe prêmio por sua batalha pessoal e pelas mulheres no futebol

A camisa 10 da Seleção Brasileira ainda recebeu uma homenagem pra lá de especial de Megan Rapinoe, da Seleção dos EUA!

Por Isabella Otto - Atualizado em 17 out 2019, 20h00 - Publicado em 17 out 2019, 14h00

Na última quarta-feira, 16, a jogadora Marta Vieira da Silva recebeu o prêmio “Wilma Rudolph Courage” durante a cerimônia Women’s Sports Foundation, em Nova York, por seu incansável trabalho em prol da igualdade de gênero no futebol. A batalha pessoal da brasileira, que atua da Seleção e pelo Orlando Pride, time de Miami, também foi lembrada.

Uma vez rainha, sempre rainha! Isso que é camisa 10 <3 Theo Wargo/Getty Images

Marta tem 33 anos e nasceu em Dois Riachos, no Sertão de Alagoas. De família humilde, ela precisou enfrentar muitas adversidades para realizar o desejo de se jogadora de futebol, um sonho que parece ainda mais distante para as mulheres, que precisam lidar diariamente com o machismo no esporte e a falta de apoio.

 

Ao receber o prêmio, Marta disse: “Quero agradecer pela homenagem e parabenizar a Women’s Sports Foundation pelo lindo trabalho que vem realizando. Esse prêmio fala muito por si só. Coragem foi uma das palavras que eu tive que aprender muito cedo, desde o primeiro momento em que escolhi fazer um esporte que para muitos era um masculino. Então, praticamente todos os dias, eu tinha que brigar com os meninos para que eles me deixassem jogar. Mas o que me deixava mais irritada era saber que isso vinha do que eles aprendiam [em casa], do que os adultos passam para as crianças, e as crianças só seguem os exemplos dos adultos”. Vale lembrar que a atacante é Embaixadora da Boa Vontade da ONU Mulheres e atua também como Defensora das Metas de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas.

Continua após a publicidade
Rapinoe recebendo seu prêmio e aproveitando para enaltecer Marta, colega de profissão Theo Wargo/Getty Images

A craque brasileira ainda foi homenageada por Megan Rapinoe, da Seleção dos EUA, destaque da Copa do Mundo de Futebol Feminino de 2019 e dos Melhores do Ano da FIFA, que recebeu o prêmio de “Atleta Feminina do Ano”. “A inspiração que você deu a todas nós, ter a carreira que você teve, é tão encorajador, é uma inspiração. Obrigada, Marta, por ser a melhor da história”, disse a meia de campo. Que moral!

Esse é o espírito! Sororidade faz total diferença, ainda mais no esporte e no futebol feminino.

Publicidade