Mari Ferrer: acusado de estuprar jovem em boate é absolvido pela justiça

André Aranha foi absolvido por, de acordo com juiz, falta de provas

Por Isabella Otto Atualizado em 9 nov 2020, 11h37 - Publicado em 9 set 2020, 19h56

No final da tarde desta quarta-feira, 9, André de Camargo Aranha, acusado de estuprar a modelo Mariana Ferrer, em 16 de dezembro de 2018, no Cafe de La Musique, famosa boate de Santa Catarina, foi absolvido da denúncia, segundo nota oficial divulgada pelo seu advogado, Cláudio Gastão da Rosa Filho. “O juiz Rudson Marcos, da 3ª Vara Criminal de Florianópolis, acatou a alegação final do Ministério Público e a tese da defesa para que fosse julgada improcedente a denúncia contra André Aranha”, informou.

Mari Ferrer expunha o caso nas redes sociais. Em agosto, o Instagram suspendeu a conta da influenciadora por questões judiciais. Gastão Filho disse que a jovem criava “inverdades para sustentar a falsa narrativa. (…) Os laudos toxicológicos, na verdade, não apontaram qualquer indício de droga no seu organismo”, disse o advogado. Conforme investigação conduzida pela 6ª Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso, Thiago Carriço Oliveira, promotor de justiça, “não encontrou provas que confirmassem a denúncia de estupro”.

  •  

    O inquérito da investigação teve mais de 3 mil páginas e 22 testemunhas foram ouvidas. Gastão Filho informa ainda em nota que seis exames periciais foram realizados. No Twitter, a hashtag #JustiçaPorMariFerrer é um dos assuntos mais comentados, o que demonstra a indignação e a insatisfação das pessoas com a decisão final da justiça. 

    Continua após a publicidade
    Publicidade