Lúpus: o relato da leitora que tem a mesma doença de Selena Gomez

Izabela Breda, de 17 anos, convive com a mesma doença de Selena Gomez e conta as principais dificuldades de ter lúpus.

Por Marcela Bonafé - Atualizado em 22 mar 2018, 15h54 - Publicado em 14 set 2017, 11h09

“Só sabia que minha vida iria mudar dali em diante”. Aos 10 anos, Izabela Breda descobriu que tinha lúpus, a mesma doença de Selena Gomez, que fez a cantora dar mais uma pausa na carreira tempos atrás e cancelar os shows no Brasil. “Meus primeiros sintomas foram inchaço nos olhos, tornozelos e pernas. Eu também sentia muita cãibra e meus exames de sangue davam que eu estava com um nível muito baixo de plaquetas“, lembra Iza.

Esses são apenas alguns sintomas que incomodam quem tem LES (Lúpus Eritematoso Sistêmico). A fadiga é o mais comum deles, mas a Diretora Científica da Sociedade Paulista de Reumatologia, Danieli Andrade, destaca outros: “Perda significativa de cabelo, manchas vermelhas nas regiões expostas ao sol e dor nas juntas são manifestações iniciais e comuns da doença. Entretanto, o lúpus pode afetar qualquer órgão do corpo“.

Leitora conta como é ter Lúpus, mesma doença de Selena Gomez

Parecem sintomas bastante genéricos, mas o mais importante é que, no surgimento de qualquer um deles, a pessoa procure logo um especialista. E foi isso que a Iza fez! A mãe dela a levou a diversos médicos e todos davam um diagnóstico diferente. “Finalmente, fomos a uma reumatologista e ela suspeitou que eu estava com lúpus. Então, foram feitos mais alguns exames para termos certeza”, explica a adolescente.

A doutora Danieli conta que realmente não existe um exame único em que seja possível detectar o lúpus. “Como a doença trata-se de uma síndrome, o médico deve reunir todos os dados clínicos e exames [físicos e de laboratório] para fechar o diagnóstico“, completa.

Você sabia que Lady Gaga também tem lúpus? Ela falou publicamente sobre isso pela primeira vez em 2010.
Você sabia que Lady Gaga também tem lúpus? Ela falou publicamente sobre isso pela primeira vez em 2010.

A essa altura, você deve estar se perguntando qual é, afinal, a causa da doença? Aí que mora o problema, porque não tem resposta! “O lúpus ainda é objeto de muita pesquisa. Sabe-se que existe uma predisposição genética importante e que outros fatores, como doenças infecciosas, estresse e hormônios, podem ser o gatilho para o aparecimento da síndrome, também conhecida como LES”, conta a especialista. No caso da Iza, ela suspeita que tenha sido emocional: “Sempre fui uma garota de extremos, ansiosa e nervosa”, afirma. Mesmo assim, não dá para ter 100% de certeza.

Continua após a publicidade

Não apenas a forma de desenvolver o lúpus varia, mas as consequências e os sintomas também são diferentes de pessoa para pessoa. No entanto, um fato é comum a todos: a doença acomete mais mulheres jovens, como a Iza e a Selena. Em sua forma mais leve, o lúpus atinge a pele e as articulações. Contudo, em casos mais extremos, ele afeta órgãos como os rins e o cérebro, além das células do sangue, e pode ser bastante perigoso. A Dra. Danieli explica que essa é uma doença autoimune, que é quando o sistema imunológico de uma pessoa reage contra ela mesma.

Imagem: Reprodução/Facebook
Imagem: Reprodução/Facebook

Para Izabela, a pior parte de conviver com esse tipo de doença é saber que ela não tem cura. “A qualquer momento ela pode aparecer e dar uma reviravolta na minha vida”, lamenta. Hoje, porém, já existe tratamento para o lúpus e é possível controlá-lo com medicamentos. “Quando fui diagnosticada, estava num estado muito avançado e tive que fazer pulsoterapia (infusão de duas a três horas de uma solução endovenosa indicada pelo médico) e tomar remédios fortes. Depois que essa fase mais pesada passou, comecei a tomar apenas alguns comprimidos para o controle”.

De acordo com a Dra. Danieli Andrade, “a base do tratamento é ‘amansar’ o sistema imune do paciente, que está muito reativo”. Isso é feito com medicamentos imunossupressores e imunomoduladores. Mas é importante saber que esse tratamento não é igual para todas as pessoas e varia dependendo do caso.

Tratando-se corretamente, tanto a Selena quanto a Iza podem levar uma vida normal, mesmo tendo algumas recaídas no meio do caminho. “É claro que com o lúpus temos que tomar mais cuidados com a saúde, mas nada que eu tenha que sair radicalmente da minha rotina“, conta a jovem. Infelizmente, porém, não é assim com todo mundo. “O lúpus é uma doença crônica que pode deixar sequelas físicas e psíquicas“, afirma a especialista. No caso da Selena Gomez, por exemplo, ela teve depressão e ataques de pânico por causa disso.

Em 2013, Selena deu uma pausa na carreira para cuidar da saúde. Dois anos depois, teve que passar por quimioterapia para tratar o lúpus.
Em 2013, Selena deu uma pausa na carreira para cuidar da saúde. Dois anos depois, teve que passar por quimioterapia por causa do lúpus.

Para quem tem a doença, além de seguir as orientações médicas quanto aos medicamentos, também é importante fazer exercícios físicos e terapias de relaxamento. E caso você não tenha e queira tentar prevenir, é possível! A reumatologista Danieli Andrade te aconselha a levar vida saudável, comer bem, fazer exercícios e procurar relaxar sempre, além de evitar anticoncepcionais à base de estrógeno, que podem ser um gatilho para o desenvolvimento da doença.

Ficou mais fácil de entender o que está acontecendo com a Selena? Realmente, o LES uma doença complicada de lidar, mas, com os devidos medicamentos e algumas adaptações na rotina, as coisas tendem a ficar sob controle.

 

Continua após a publicidade
Publicidade