Juiz que mandou vítima de abuso ‘fechar as pernas’ ganha pena vergonhosa

Mais uma vez a Justiça se mostra falha com as mulheres.

Por Isabella Otto - 8 abr 2019, 15h52

Em 2016, o juiz John Russo estava cuidando do caso de uma americana de Nova Jersey que havia sido abusada por um homem e o denunciado para a Justiça quando proferiu os seguintes questionamentos para a vítima: “você sabe como impedir alguém de ter relações sexuais com você? Fechar as pernas? Chamar a polícia?”.

Audtakorn Sutarmjam/EyeEm/Getty Images

É óbvio, porque toda mulher que é abusada sexualmente está com as pernas abertas, “se oferecendo” para o cara que, cordialmente, entende o recado. Não é o homem que está errado e tem sérios problemas por achar que pode estuprar uma pessoa. É algo corriqueiro… Tristes ironias à parte, o juiz foi afastado em 2018, quase dois anos após o episódio machista.

O caso continuou sendo investigado e, na última semana, John Russo finalmente foi condenado. A pena? Uma suspensão não-remunerada de três meses da Suprema Corte. TRÊS MESES. Por dizer em uma audiência que a vítima de abuso sexual teria evitado o crime se tivesse fechado as pernas.

Quando foi processado pela vítima, o juiz disse que não havia dito aquilo por mal, mas por falta de conhecimento. Russo também precisará participar de um treinamento sobre “comportamento adequado no tribunal” por causa da sua ~má conduta~.

Continua após a publicidade

Como diria Caetano Veloso: “enquanto os homens exercem seus podres poderes…”

Publicidade