J.K. Rowling homenageia fã de Harry Potter que morreu em atentado em Orlando | Capricho

J.K. Rowling homenageia fã de Harry Potter que morreu em atentado em Orlando

O massacre está sendo chamado de 'Orlando's Bataclan', relembrando recente ataque que aconteceu em balada de Paris, na França.

Por Isabella Otto Atualizado em 24 ago 2016, 12h43 - Publicado em 13 jun 2016, 13h00

No último domingo, 12, o Brasil celebrava o amor durante o Dia dos Namorados, enquanto, nos Estados Unidos, o cenário era de puro ódio. De acordo com autoridades norte-americanas, 50 pessoas morreram e outras 53 ficaram feridas no ataque a uma boate em Orlando, na Flórida. Omar Saddiqui Mateen foi o autor do crime e teve a identidade revelada pelo FBI. Ele era filho de pais afegãos, mas a família nega que o atentado tenha sido motivado por questões religiosas. De acordo com o pai, o filho, de 29 anos, havia ficado bastante alterado ao ver dois homens se beijando em Miami. Ainda não se sabe exatamente o motivo da chacina na balada LGBT, mas alguns psicólogos acreditam, inclusive, na possibilidade de Omar, por ser mulçumano, não poder assumir a sua sexualidade e ter sido motivado por essa angustia.

Foto: @redhuber, fotojornalista do Orlando Sentinel.

No massacre, um dos maiores da história dos Estados Unidos, o jovem Luis Vielma, de 22 anos, foi morto. Potterhead, o estudante mexicano da Seminole State College tinha, possivelmente, um emprego dos sonhos: ele era operador na atração Harry Potter and the Forbidden Journey, no The Wizarding World of Harry Potter, dentro do parque Universal’s Islands of Adventure. Abalada com a notícia do ataque – e depois de descobrir que um fã da saga havia falecido -, J.K. Rowling postou uma mensagem nas redes sociais, como forma de homenagem póstuma e desabafo.

“Luis Vielma trabalhou na montanha-russa do Harry Potter no Universal. Ele tinha 22 anos de idade. Eu mal posso parar de chorar”, escreveu a escritora. Justin Staggs, amigo da vítima e funcionário do parque, também homenageou o amigo. “Descanse em paz. Hogwarts perdeu  um dos seus melhores estudantes. Foi um prazer trabalhar com você”, lamentou o jovem.

Continua após a publicidade

Olga Glomba, outra funcionária do Universal, em Orlando, afirmou que Luis “era um amigo verdadeiro. Um garoto divertido, doce e nerd sem qualquer lado mau. Ele só queria fazer as pessoas sorrirem”. 

Estamos rezando não só por Orlando, mas pelo mundo. Levantemos nossas varinhas, pois algumas maldições são imperdoáveis…

 

Continua após a publicidade
Publicidade