Instituto Butatan diz que CoronaVac é eficaz mas adia divulgação de dados

O laboratório Sinovac Biotech pediu que as informações não sejam divulgadas até unificar os dados mundiais, o que pode levar 15 dias

Por Gabriela Junqueira Atualizado em 23 dez 2020, 19h02 - Publicado em 23 dez 2020, 18h30

Estava previsto para ser anunciado pelo Governo de São Paulo o índice de eficácia da Coronavac nesta terça-feira, 23, entretanto a divulgação foi adiada. O laboratório que criou a vacina, a Sinovac Biotech, pediu que o Instituto Butatan enviasse toda a sua base da dados para unificar com os obtidos em outros países como Turquia e Indonésia e evitar que resultados diferentes sejam apresentados. A consolidação dos dados faz parte das exigências da Associação Nacional de Produtos Médicos (NMPA), agência chinesa responsável por aprovar vacinas no país.

Instituto Butatan diz que CoronaVac é eficaz mas adia divulgação de dados
Daniel Chetroni / EyeEm/Getty Images

Durante uma coletiva realizada na tarde desta terça-feira, Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan, explicou que esse processo pode demorar até 15 dias e que o sigilo de é garantido pelo contrato. O diretor também afirmou que os dados mostraram que a vacina é a mais segura entre as testadas no Brasil e que apresentou a eficácia exigida pela Anvisa e pela Organização Mundial da Saúde, que exige no mínimo 50% de cobertura.

Covas afirmou que ela apresenta “excelente perfil de segurança e manifestações adversas leves, sendo a mais frequente a presença de dor no local de aplicação da vacina”.

Apesar da divulgação dos dados ter sido adiada, o governo mantém a previsão de ínicio de vacinação para 25 de janeiro. Para a imunização ocorrer  ainda é necessário que a substância passe pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Entretanto, em fevereiro deste ano foi criado uma comissão especial para a aprovação de uma vacina emergencial para a Covid-19, o que deve garantir que o processo não seja demorado.

Continua após a publicidade
Publicidade