Inocente? Safada? Cantora Tay Galega faz versão girl power para hit Malandramente

Versão está bombando na web e já tem mais de um milhão de visualizações no Facebook!

Por Isabella Otto Atualizado em 24 ago 2016, 12h07 - Publicado em 1 ago 2016, 18h40

Desde pequenininha, Tay Galega sonha em ser cantora. A catarinense de Blumenau até dizia que seria a Sandy! Parece clichê começar uma matéria desta forma. Afinal, isso é, geralmente, o que todos os artistas falam: que gostariam de ser o que são desde crianças. Mas é a verdade.

Foto: Jéssica Alves

Aos 24 anos, a jovem realizou este sonho, que começou para valer há uns cinco anos, quando passou a postar vídeos no YouTube. “De uns dois meses para cá, finalmente voltei de vez para a plataforma, publicando três vídeos por semana“, explica Tay. Em seu canal, ela posta composições próprias e versões de músicas já conhecidas.

Recentemente, Tay fez uma versão para o funk Malandramente, de MC Nandinho e MC Nego Bam, em que questiona algumas partes originais da canção, que deprecia as mulheres. “Na hora em que fui gravar, a letra me impactou de forma negativa, porque o refrão soou totalmente agressivo para mim“, conta a cantora, que aproveitou a oportunidade para fazer uma adaptação, que, segundo ela, surgiu de um jeito completamente instantâneo. “O vídeo já está com mais de um milhão de visualizações no Facebook e a maioria dos comentários é positivo e concordando com a letra, mas também tem alguns negativos”, desabafa.

Tay Galega faz questão de explicar que em nenhum momento quis “higienizar a canção”, como muitos deram a entender, como se ela achasse funk um ritmo sujo. “Eu gosto de pegar músicas ~do momento~ e adaptá-las para o reggae com o ukelele e o violão. A única coisa foi que na hora de cantar a letra original, senti um impacto muito forte e não me sentiria nada confortável cantando algo que me soa tão violento. Por isso, adaptei a letra”, esclarece.

Continua após a publicidade

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=e8LmPqXLW14%5D

Para a cantora de 24 anos, que, atualmente, vive em São Paulo, qualquer som que deprecie as mulheres a incomoda, seja funk ou MPB. “Nós não estamos aqui para sermos diminuídas por ninguém. Música deve passar uma mensagem positiva, de amor e evolução, não o contrário“, admite. Quando questionada sobre ser feminista ou não, Tay confessa que é íntima do movimento, mas não é militante: “Sempre me posiciono nas redes sociais e tento passar mensagens em minhas canções. Não é à toa que o nome do meu EP é “Respeito e União”, coisas que considero muito importantes”.

No dia 13 de julho, Tay, que também é YouTuber, publicou em seu canal um vídeo intitulado “Orgulho de Ser Lésbica”, em que fala sobre a sua orientação sexual. “Todos os dias a gente lê sobre agressões e mortes por homofobia, e isso nunca vai deixar de ser triste. Não tem absolutamente nada de errado em ser lésbica, mas a maioria dos pais leva um choque quando descobre. O que você deve fazer para que as coisas se acalmem o quanto antes é mostrar que você continua sendo exatamente a mesma pessoa e que o seu coração é do bem”.

A cantora é grande fã de artistas nacionais, como Armandinho, Marina Peralta, Maneva e Tiago Iroc. Tais referências ficam visíveis na composição Minha Menina, que faz parte do EP “Respeito e União”.

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=jRqs4GTGY14%5D

Você que é nossa menina, Tay! Arrasou! o/

Continua após a publicidade
Publicidade